terça-feira, 2 de junho de 2009

As psicólogas de RH estão todas contra mim.

Povo, que extresse!
Hoje de manhã fui à uma entrevista. Um puta vaga, salário legal, benefícios mega atraentes, razoavelmente perto de casa e carga horária compatível. Ou seja, o sonho!
10 candidatas com as mais diversas histórias profissionais e tal.
Mais um vez eu recebo a notícia de não ter sido escolhida pra próxima fase do processo seletivo.
Cara, não consigo entender, tenho feito milhões de entrevistas, gasto tempo, dinheiro, deixado a minha filha com outras pessoas que fazem isso de bom grado mas não têm obrigação, tudo isso pra que? Nada!

Queria realmente saber que tipo de elementos as psicólogas usam pra avaliar e julgar o profissional se mesmo dar-lhes mais chance?
Se você é sincera, é eliminada.
Se faz cara de paisagem, é limada.
Se expõe seus pontos de vista, te cortam.
Se não fala, te excluem.

Sinceramente eu não sei. Sempre me julguei uma profissional multifacetada. Além da minha profissão academica desenvolvi outros dons e experiências ao longo da minha vida profissional.
E porque para mim simplesmente não acontece?
Não quero o emprego dos sonhos (pelo menos não agora), só o direito de continuar sendo economicamente ativa, gastar meu dinheiro da maneira que julgar justa sem ter que ficar contando tostões e esperando marido deixar uma graninha pra mim (tudo bem q ele não liga pra isso, eu que administro a grana da casa).

Mas e a manicure? Aprendi a fazer minhas unhas sozinha por conta da recessão (e detalhe, nunca consigo, tem Maria ?).
Cabeleireiro? Comprei secador, prancha, cremes e oléos para hidratação, além de químicas para alisamento (recessão mais uma vez).
Roupas novas? Só quando minha mãe maravilhosa que é uma exímia costureira faz copiando marcas famosas ou então compra generosamente uma pra mim.
Sapatos novos? Uso os velhos, afinal quase chegando nos 30 o pé não cresce mais, e F... a moda.
Bolsas? Tenho várias clonadas e genéricas, mas nem essas está dando pra comprar.

Enfim, tristeza de mulherzinha total!

E o pior de tudo: a auto estima lá no umbigo (cercado de estrias diga-se de passagem).

Não quero muito, só o direito de pode ir e vir com o meu próprio dinheiro, ganho através da venda da minha força (muita força) de trabalho.

Não considerem isso um lamento, odeio lamentar, mais é que hoje fiquei meio bolada com tudo.

PS: Sah, me responde alguns questionamentos de profissional de RH que vc é?


Beijo beijo galera!

PS2: Acho que sexta tem baladinha com amigas....
Cerveja, gargalhadas e muita diversão, tomara que dê certo.

4 comentários:

D@ni disse...

Nossa Vê, realmente isso deixa agente p/ baixo, não consigo entender tbm o que eles levam em conta e o que precisamos mostrar. Carambaaaa. Qt ao resto, não sei se serve de consolo, mas vc n é a unica dependente do marido e que rala muito p/ deixar de ser. Tô por aqui amiga, na mesma circunstancia que vc. Ow saco!!!!

Mas calminha, prefiro acreditar que o caminho vai abrir, faz o memso, de repente....

Irmãs disse...

Vê ... o mundo porcorativo é cruel e muitas vezes não depende das psicologas ... o que acontece e que cada gestor tem um determinado perfil para a vaga que abre. Vou dar algumas dicas que servem para todos que buscam emprego, sob a minha visão:

- Visual o mais sóbrio possivel: batom cor de pele, uma corzinha no rosto, sombra discreta e tá ótimo.
Elegante mas sem se destacar. Decote e saia acima do joelho nunca. Para quem faz recrutamento isso dá a impressão de que a pessoa quer conquistar o entrevistador por esses meios.

- Nunca fique quieta. Sempre coloque o seu ponto de vista, mas seja ponderada. Não entre em polemicas, mesmo nas atividades em grupo procure interagir em grupo mas sem polemizar.

- Dependendo da vaga em questão, uma coisa que é analisada é a postura de Liderança. Algumas pessos confundem liderança com prepotencia e arrogancia. Liderar nao é mandar, é saber extrair de cada pessoa do seu grupo as qualidades e segurar a brinca se os defeitos aparecerem.

- Sempre chegue 15 minutos antes da entrevista. Nunca atrasada. Eu tinha um truque quando eu trabalhava: Eu pedia para as recepcionistas anotarem os horarios de chegada de todos os participantes. E sempre ia até a recepção pegar um cafezinha e dar uma olhada no pessoal.

Essas são algumas dicas. A chave de tudo aí é a sobriedade e a ponderação. As vezes eu tinha profissionais feras numa seleção e os mesmos acabavam perdendo a vaga por conta da postura. E quando eu dava a noticia de que a pessoa não havia passado de estágio na seleção era um deus nos acuda ( eu sempre dei retorno a todos os candidatos - uma empresa séria faz isso )

Espero ter ajudado um pouco!

Beijos!

Sah

Irmãs disse...

Ah, me esqueci de dizer o principal. Quando eu trabalhava em ReS o que eu mais detestava era candidatos arrogantes. As vezes, por conta do nosso conhecimento em determinada área, acabamos passando uma postura arrogante mesmo sem querer. Não entre nessa de "todos aqui estão para competir". Estão mesmo, alias, quem se ferra primeiro é o que se mostra mais competitivo e o que mais tem chances é aquele que tem uma postura cordial com todos e sabe trabalhar em grupo. Quanto menos vc entrar nessa paranóia mais chances vc terá de conquistar a vaga.

Beijos!

Sah

Irmãs disse...

Imagina Vê! Tomara que eu possa ter ajudado! Não vai dar pra entrar no msn hoje pois sem mouse é uma droga, mas se quiser, manda as suas duvidas por email e eu te respondo! Mas, vai com fé que dessa vez vai dar certo. O importante é nunca desanimar!

Ah, passa no Coisas que tem premio pra vc!

Beijos!

Sah