domingo, 31 de agosto de 2008

Rio com cara de Sampa!

Acordamos esse final de semana com um tempinho lesque lesque. Chuvinha, frio, vontade de ficar na caminha... Poxa, logo ontem que foi o dia do Mc Lanche Feliz e eu queria ajudar (kkkkkkkk)! Não fui né. Chuva não combina com criança pequena e família que não tem carro.
Enfim, estou desde a noite de sexta curtindo esse tempo lesque lesque rsrs.
Ai me bateu uma saudade de Sampa! Dos amigos que fiz por lá, dos amores que eu deixei por lá (ainda bem que ficaram lá mesmo kkkkkk), dos lugares que visitei, dos mega porres que tomei kkkkkkkk, só São Paulo!

Aproveito pra contar pra os amigos uma passagem hilária que eu tive em uma das minhas viagens a Sampa.

Eu fui fazer uma prova de concurso em São Paulo, e como seria no sábado, resolvi ficar o final de semana inteiro já que poderia aproveitar o tempo pra rever amigos de longa data.
Cheguei sexta por volta das 13h na rodoviária e demorei uma hora quase pra chegar no hotel que ficava na Vila Mariana, pertinho do shopping Santa Cruz. Lá me acomodei e dei uma dormidinha. Quando foi de noite, resolvi ficar no hotel pra descansar pra prova. No dia seguinte, acordei cedo e resolvi explorar a redondeza. Fui pra prova e depois no shopping, cineminha sozinha (q eu amo) e depois voltei pro hotel...
Eis que nessa hora surge a brilhante idéia de uma biba que fez facul comigo e tá em Sampa. "nega, vamô pro bafão?" Eu sem saber o que seria bafão falei: contanto que não tenha sexo explícito, topo sim. Ai a biba falou: "nada nega, é uma boatezinha que você vai gostar". Topei e marcamos na estação do metrô República.
Só que eu tava sozinha, numa cidade que pouco conheço e com um medo do cacete de andar a noite, haja visto que nem no RJ q nasci, tenho esse costume. E o medo de saberem q eu não era nativa... Nem abria a boca pq o sotaque é foda né! Depois de morrer de medo de andar de metrô sozinha, consegui encontrar meu amigo e ficamos lá esperando outra biba que vinha ao nosso encontro.
Bla bla bla a parte, fomos pra fila da boate no Largo do Arouche (queria muito me lembrar o nome da Boate, mais não consigo mesmo). Só que eu fiz a pior coisa da vida: Coloquei uma sandália mega alta (eu tenho 1,80) que eu nunca tinha usado. Resumo: pé doendo a noite toda. Minha condenação foi ficar sentada o tempo todo, só que lá pra sentar tinha q consumir e eu não tinha quase dinheiro, passei a noite toda com duas latas de refrigerantes rsrs. Só que a vida de uma assistente social mesmo fora da labuta sempre é inusitada.
Ao me verem lá, sentadinha, com carinha de puta sofrida, vinham as bibas, conversavam, contavam suas vidas, alegrias, tristeza e PAGAVAM, chopp, martini, prosecco e o que eu mais quisesse. Gente, eles são muito solidários! E quando eu falava que era do Rio, nossa, ficavam doidas. Queriam saber de Copacabana!!! Será porque hein?
Agora confesso, a maioria delas acharam que eu era travesti. Porque Jesus? Uma teve a coragem de perguntar onde eu implantei silicone da bunda. Quando ela disse isso, eu ri loucamente (a minha bunda é enorme mesmo rsrs) e falei, criatura, eu sou mulher! "Ah não acredito", disse uma das bibas, eu tive q mostrar a identidade. Ai ela soltou um PUTA Q PARIU, mulher é foda, tem tudo o q quer e não sabe usar... Vai ser quenga moça, vc vai ganhar muito dinheiro. E eu falei: "não tenho vocação pra isso não, casei e agora tô só na maré mansa. Ai ela retrucou: Tá vendo fulana, bonita, gostosa, com uma bundona destas e ainda é casada, que ódio tô dela rsrs. Eu cai na gargalhada e no final, estávamos bêbadas, eu e as duas bibas e ainda coloquei uma delas na fita de uma das bibas q foram comigo...

E assim foi meu sábado, cheguei no hotel 07h da matina, cansada da guerra, mas feliz da vida, é bom demais fazer amigos.
Saí de Sampa com a sensação deliciosa que ali poderia ser o meu lugar um dia. Tem o meu jeito, uma vibração deliciosa e um Q cosmopolita que eu admiro muito, fora que as pessoas não precisam ficam se cumprimetando o tempo todo e nem sendo simpáticas sem querer (como aqui).

Esse tempo do final de semana me fez lembrar muito de Sampa! Um dia volto, em breve, com minha família.

Beijos a todos os amigos paulistas, virtuais ou não, e eu AMO o sotaque, principalmente dos meninos rsrsrs!

Kisses for you!

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

E sendo assim...

Ultimamente tenho acompanhado os blogs e tenho visto a incansável luta dos escritores em tentar elaborar ou pelo menos exemplificar as coisas do cotidiano das relações amorosas em geral. Ok, leiam-se relações amorosas qualquer contato físico entre duas partes mesmo que não tenha absolutamente nada a ver com o tal amor.
Ai me peguei pensando na dificuldade real que as pessoas têm de se "juntar". Primeiro são homens galinhas, melosos, cafajestes e demais outros adjetivos, em seguida vêm as meninas grudentas, piriguetes, sonhadoras, e por ai vai.
Ninguém está realmente a altura do outro, sempre existem histórias e mais histórias que tendem a relatar a tal problemática do - estar junto - fora que ainda existe o preconceito social imposto desde 1900evovôgaroto, onde mulheres pouco podem e homens podem tudo.
Tudo bem que eu não posso querer ficar de ingênua e acreditar que existem direitos totalmente iguais, mas o que me fez postar isso aqui hoje, foi perceber que as relações interpessoais em geral estão cada vez mais difícies, a julgar princpalmente pelas que se tratam de homem x mulher no bom sentido da coisa.
Não está existindo satisfação nas relações e quando existe, criam-se diversas nomenclaturas pra definir o outro e o lugar que ocupa em sua vida. Nada contra as nomenclaturas, mas sinceramente acho que isso acaba tirando o bom do lance. O povo fica tão preocupado em não ser rotulado que no fim das contas acaba sendo assim... ninguém se deixa levar pelas emoções.

Uma sugestão:

Se quiser dar de primeira pro cara, faça isso e foda-se o que ele vai pensar depois (isso só vale pra quem é independente, chique e inteligente, mente pequena não consegue absorver);
Vocês meninos, liguem e procurem quando tiver vontade e por favor esqueçam o clichê: "A gente se vê" ou "Eu te ligo".
Esperar a reação do outro para agir é coisa de doido! Que tal ser você mesmo, livre de pré-conceitos?
Dicas de revista: não funcionam, cada um é de um jeito, acumulem isso como milhagens pra fazer fofoca com amigas.
Casamento: eu sou a favor, mas façam com responsabilidade, até porque está longe de ser "brincar de casinha".
Curtam momentos sozinhos (isso vale pra companhia de amigos tb), é bom estar em paz consigo mesmo.
Na night, antes de qq coisa, vá com a mente livre. Dance, beba (se for o caso) e divirta-se. Deixe a azaração fluir, isso sempre acaba sendo o melhor e vc une coisas úteis a agradáveis.

Enfim, estou longe de ser uma expert em relacionamentos, mas me considero uma boa observadora das relações humanas e sociais (a profissão exige), só queria deixar registrado aqui que o melhor a fazer sempre nesse tipo de situação é SER VOCÊ MESMO! Não falha nunca.

E sendo assim...
Continuamos sempre "Procurando a batida perfeita".
Você já achou a sua?
Então me conta.

Kisses for you!

PS: Não tenham medo de arriscar, só vivemos uma vez (teoricamente).

domingo, 24 de agosto de 2008

A revolta do domingo.

Eu simplesmente...


ODEIO MEUS VIZINHOS!!!!!!!






sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Vida de mãe: parte II

(mudei um pouquinho o layout, tô assim nessa fase de mudar tudo, a começar pela ordem dos móveis da casa)

Outro dia eu estava assistindo uma série na GNT se não me engano, chamada Mothern. Para que já viu é a história de três amigas que têm filhos, umas casadas outras não, mas o eixo central gira em torno da tripla ou quádrupla jornada de cada uma delas.
E o episódio que eu vi, uma delas estava num dilema em mudar ou não de pediatra...

Caraca, tô na mesma situação, como dizer ao pediatra de seu rebento que ele já não serve mais e que você arranjou outro melhor, ou pelo menos com uma linguagem mais acessivel a sua.

Então, acontece que pra encurtar a história pq nem todo mundo q vem aqui tem filhos e bla bla bla, Maria Ísis tinha um pediatra que conheci no posto de saúde e coincidentemente ela aceitava o plano da criança, como nos demos bem a primeira vista, concordei em ficar com ela. Só que com o passar do tempo eu fui achando ela fraca e tal, conlusão: pedi nova indicação e mudei sem mais nem menos e não tive coragem de avisar no consultório.

Eis que hj, quase dois meses mais ou menos do "abandono", a secretária da pediatra me liga toda animada perguntou: E ai, sabe quem tá falando (cacete odeio isso, pq na maioria das vezes pra mim nunca é surpresa, sempre acerto, fui secretária anos a fio e reconheço vozes sempre ao telefone)? E eu toda sem graça respondi: Claro Fulana... AI ela toda animada: Poxa Veronica, vcs sumiram, vou lembrar de vc quando qusier um encaixe, qdo a pequena tiver doente, vc vai ver... Bem na hora me deu uma louca vontade de mandar ela se F++++, mas como eu sou educada e chique de doer, não o fiz.

Resumo da ópera: a criatua me enrolou e falou tanto que tive q dar meu MSN, Orkut e quase o numero da conta do Fàbio pra ela parar de falar, e o pior, "me obrigou" a marcar uma consulta com uma médica que eu não quero mais.

Ai gente, que dilema.

Tô tão sem jeito de dizer que não quero mais... Como a gente dispensa um médico hein?
Se souberam me avisem?

Hj vou mudar o final porque estou me sentindo diferente... mas só conto pras amigas rsrs (não tô grávida não viu antes q comece a especulação).

Muitos beijos para vocês e até breve.

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Blogs: um delicioso vício.

(o assunto tá doido, mas vai valer a pena ler).

Quando eu resolvi fazer esse blog aqui não imaginei que eu fosse gostar tanto de expôr minha vida na internet. Tudo bem, que eu tenho uma lado "exibida" como diz um amigo, mas daí ficar super interessada em escrever sobre mim mesma, era estranho na cuca.

Ok, primeiro passo dado, levei uma puta surra pra fazer isso aqui, até pq eu não sou nem de longe uma maníaca cibernética, sei o básico para um usuário de informática não ser engolido pelo menininhos de 11 anos.

Depois da criação, veio o longo período de abandono. Passei por diversas situações estranhas, fiquei sem grana, sem talento e sem idéia, eis que então outro dia, depois de uma sessão de risadas lendo o blog de uma amiga (relações e enrolações, tá linkado), resolvi rerativar o meu e tentar colocar aqui coisas que realmente estão no meu cotidiano.

Sim, tem algumas coisas que acontecem comigo que eu ADORARIA contar, mas não posso, pelo menos ainda, um dia prometo que farei.

Então, a idéia do post de hoje surgiu depois que eu andando pelos blogs alheios descobri o "Manual do Cafajeste (para mulheres)". Gente, eu nunca ri tanto em toda a minha vida.
O rapaz dono do blog além de sr super espirituoso, tem uma maneira super tranquila de escrever, como me disse a Carol linda do Quase 3.0 - Vê, adoro o jeito que vc escrevem parece que está falando..." Foi exatamente o que senti ao ler o blog do rapaz, ele conta tudo, sem detalhes sórdidos, porém com uma naturalidade espantosa. Parabéns pro moço que não se identifica no blog, mas se denomina "CAFA".

Depois disso, acabei lembrando de uma situação que eu fui testemunha há um tempo atrás numa nightzinha (leia-se tempo atrás, muito tempo mesmoooooooo).

"Eu adoro charm, fui frequentadora assídua de um local chamado Disco Voador, palco de grandes e memoráveis cenas de deleite, pavor e horror rsrs. Pra quem mora no RJ, principalmente no subúrbio, certamente já ouviu falar no "Templo do Charme" como eles gostam de ser chamados. Certo, apresentações à parte vamos ao conto...
Eu fui a esse bailezinho delicioso com uma amiga que hoje encontra-se fora do Brasil, lá fizemos o que nos era de costume, entramos, compramos nossa cervejinha e fomos para a pista de dança. Nessa época eu tinha um peguete que era um sonho de consumo pra muita gente mas só eu consegui arrematar o fofo. Ele era o mistério em pessoa. EU não sabia telefone, mal onde morava, se tinha pai, mãe, identidade, e bla bla bla. Mas mesmo assim, a garota quis investir no lance e seguiu adiante rumo aos encontros todos os finais de semana nos bailes chams da vida
Já estávamos ficando juntos a pelo menos uns 3 meses e eu já tinha reparado que ele tinha uma particularidade excêntrica... estava sempre de boné! Sempre usava roupas lindas, na moda, combinava o estilo despojado com a cara de mal . E a pegada gente? Pai Celeste, o que era aquilo (q marido não leia senão é divórcio rsrs)? Enfim, o boné era quase q parte do corpo do moço e eu ainda não tinha conseguido vê-lo sem o acessório. Até que neste tal dia, eu lá no bailinho, já calibradinha e muito alegre com minha amiga, resolvi fazer uma surpresa pro gatinho que veio todo lindo na minha direção. Falei pra amiga: "Fulana, quando o fofo chegar, vou beijar e depois tirar o boné, o que vc acha?" A amiga nem pestanejou, mandou eu seguir em frente com o plano. Eis que Vê põe em prátrica seu plano e quem acaba se surpreendendo é a moça que vos escreve... Quando eu tirei o boné, me deparei com o cabelo mais feio da face da Terra, era um estilo moicano, pintado de loiro e com uma inscrição na parte de trás da cabeça, feita a Gillette que mais parecia a Suástica. O pior da história toda: o cara é negro...
Imaginem a mistura de pavor/horror/cachaça/gargalhadas e espanto.
Fiz o que depois disso? Coloquei o boné de novo no moço, sai pra beber mais uma latinha e me recompor, depois... fui pro paredão e esqueci tudoooooooooooooooooo.

PS: A noite, na minha cama, sonhei com o cabelo moicanolourosuásticodepretosarado e tive uma noite péssima de medo.

Era só povo, o post era pra ser uma coisa e acabou sendo outra, mais como o Maldito (Ditos pelo Maldito) fala, eu penso, repenso e "dispenso" muita coisa, no final tomara que tenha sido legal.

Kisses for you! Dessa vez direto das lembranças dos 18 anos.

terça-feira, 19 de agosto de 2008

A lista!

Eu estava lendo os blogs que eu tenho linkados aqui no meu e passei no "Garotas de Vinte e Poucos Anos", ai me deparei com um post das meninas que falava mais ou menos das coisas que a gente promete que vai fazer e não cumpre.
Depois da leitura, fiquei me perguntando realmente como é difícil estabelecer metas para a nossa própria vida. Meus amigos costumam dizer que eu consigo "ver além de mim", verdade somente além de mim mesmo.
Para minha vida mesmo, não consigo criar e nem estabelecer a tal "lista" que a Mimi disse no seu post.
Mas eu hoje eu resolvi tentar...
Não sei se vai dar certo, mas pelo menos um pouco de coragem eu tive de demonstrar fraquezas né!

Voilá!

  • Quero um emprego novo.
  • Preciso passar no mestrado.
  • Quel tal ler mais.
  • Fazer um curso para melhorar o meu inglês.
  • Mudar de casa.
  • Comprar um carro.
  • Melhorar os hábitos alimentares.
  • Me esforçar mais nas relações (tenho sido preguiçosa)
  • Comer menos.
  • Sair mais.
  • Abandonar manias.
  • Viajar.
  • Ter uma nova lua de mel (essa preciso MESMO).

Ai, tanta coisa...

Difícil né?
Tô tentando. Conseguir? Eis a questão...

PS: Mimi, valeu por abrir meus olhos, descobri que não tinha a minha própria lista rsrs.

Kisses for you!

domingo, 17 de agosto de 2008

Assim, assim.

"Eu sou feita pro amor da cabeça aos pés e não faço outra coisa do que me doar..."



Só, por hoje!


Kisses for you.

sábado, 16 de agosto de 2008

Night carioca, a melhor do mundo!!!!!!!!

Oi pessoas. Vocês vão até estranhar, eu aqui, a essa hora? Well, well, é que acabei de chegar. Fui pra uma "little night" de leve. Nossa, fazia tempo que eu não dançava tanto.
O legal disso tudo é que eu estava mesmo precisando distrair a cabeça, e dançar pra mim sempre funciona e muito.
Não muitas histórias para contar, porque sabe como é night de mulher casada né, dançando moderadamente com as amigas e com a aliança beeemmmm a mostra dizendo "Tenho dono sacou!".
Valeu hiper a pena pq fui com Lu Lopes (sempre nas nights) e depois por lá pintou a Roberta (amiga da Lu q é gente boa tb). Ri muito como sempre, e vi que o pessoal tá mais tranquilo, não percebi aquele estresse de um querendo pegar o outro loucamente. As pessoas pelo menos estavam se respeitando, ou será que eu fiquei tão escondida que não vi o resto?
Que seja, dançei, cantei, ri, fofoquei e corujei o DJ (q é amigo de longa data).

Valeu pela noite de hoje, eu realmente estava precisando.
Agora, vou dormir entre braços aconchegantes e perninhas gostosinhas, com direito a dedinhos nos olhos e beliscões fininhos durante a noite.

Night carioca - R$ 15,00
Metrô - R$ 5,00
Voltar pro meu marido e minha Maria - NÃO TEM PREÇO!

Amo minha família.
Amo meu marido.
DOU A VIDA PELA MINHA MARIA ÍSIS.

Kisses for you!

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Sexo. As várias formas de fazê-lo.

Cheguei com minhas explanações. Hoje eu estava na fila do posto de saúde para a vacinação contra a rubéola (Galera é importante, vacinem-se) e vi uma menina com todas as características físicas de uma lésbica.
Bem, vocês podem pensar como eu conclui tal fato, então vamos ao que eu sei (ou penso que sei). Cabelos curtos, camisa larga, um "negócio" que amassa os seios (nossa deve doer pra cacete) e um bermudão do tipo que Fábio usa pra dormir.
Ela devia ter uns 18 anos mais ou menos e ao seu lado tinha outra menina toda paty. Brincos, anel, colar, boca vermelha de "me chupa" kkkk, ou seja, produzida ao extremo. Logo, conclui que aquela era a sua namorada.
Nada contra (nada mesmo) os gays masculinos ou femininos, mas de uns tempo spra cá, tenho observado (sou frequentadora de boates GLS porque eu AMO eletrônica e lá tocam sempre as melhores) que essa questão de opção sexual está ficando meio pão com ovo.
Os jovens de hoje estão "ficando" com sexo igual acho que por modinha. São meninos e meninas que bebem um pouquinho a mais, fumam um beckzinho de leve e de repente, se vêem na louca piração de transar com pessoas do mesmo sexo.
Cara, eu sinceramente acho que esse lance de escolha de sexo perpassa as modas, é mais estilo de vida e ultimamente tem servido mais como forma de protesto.
Tenho visto que as pessoas estão seguindo tendências para aparentarem modernidade, o que na verdade não tem absolutamente nada a ver com isso.
Eu tenho amigos e amigas gays e sei que bancar opções desse tipo muitas vezes acabam acarretando um puta preconceito. Fora que esse preconceito gera uma infinidade de aspetos negativos.
Os gays tendem a viver suas vidas sempre naquela de ter que "matar um leão por dia", porque é a família que não aceita, são os "amigos" que se afastam, e até o mercado de trabalho acaba fazendo destinção, como se competência está medido pelo sexo do seu parceiro de cama.
Enfim, o que eu queria dizer com isso tudo é que, ser jovem é bom demais. Beijar na boca é melhor ainda. Sexo então, Pai Celeste, nem se fala, mas porque não aliar tudo isso a uma coisa chamada responsabilidade e respeito?

Parabéns aos homens que fazem sexo com homens (por opção real);
Parabéns às mulheres que fazem sexo com mulheres (por opção real);
Esses sim, são corajosos e curtem tanto seu (a) parceira como nós heteossexuais curtem e as vezes, dão até mais valor ao amor.

Kisses for you!

terça-feira, 12 de agosto de 2008

A triste face do amadurecimento.

Essa semana eu estava aqui em casa de bobeira e resolvi entrar num chat de um provedor (agora não lembro qual) onde existem salas que são direcionadas à profissões. Como estou procurando emprego novamente, achei que trocando uma idéia legal poderia fazer contatos e quem sabe talvez, vir a criar uma nova rede.

Lá fui eu para a sala de Assistentes Sociais (essa é minha profissão).

Entrei com o meu próprio nome achando que estava sendo sincera e objetiva. Eis que logo após a minha entrada me chama para conversar uma moça do com o seguinte nick: Flor Natalense...
Cara, eu rolei de rir! Primeiro que a sala não era pra namorar e sim compartilhar experiências, mas enfim, dei a devida atenção pra colega.

Começei fazendo as perguntas clássicas do tipo: Mora onde? Resposta: Natal RN (eu fiquei feliz e pensei: oba alguém com uma realidade diferente do RJ pra compartilhar), só que logo depois eu perguntei como estava o mercado de trabalho lá em Natal e obtive a seguinte resposta: Xiiii, eu nem sei do que você está falando!

PQP! O que a louca do sobrado faz numa sala destinada a assistentes sociais se ela nem sabe do que fala? Bem, já q tava na chuva pensei: Veronica do céu, vamos tripudiar (ai q péssimo)!

Ai eu perguntei pra menina, quantos anos você tem querida? E ela respondeu: 27 com carinha e corpinho de 15.

Pronto... ai eu tive crises de risos estéricos q quase acordei a Maria q dormia "Like a baby" que ela é.

Resumo: sair do chat, rindo horrores e sem completar meu obejtivo. E o pior de tudo foi que eu tive a certeza que tem muita gente que não quer crescer.

Porra, o que leva alguém, principalmente uma mulher com a minha idade, dizer num chat destinado a profisisonais que tem 27 com corpinho e carinha de 15? Jesus, me socorre! Que tal experimentar o amadurecimento?

Como disse um amiguinho q eu tenho - Vê, aos 27 se vc é solteira e fica na pista direto, vai ficar pra titia ou quer estar casada, ou pelo menos num relacionamento estável.

Pra finalizar! Sei que o amadurecimento é dificil, mas custa o que Pai Celeste ser e agir de acordo com sua idade hein?
Ah tá, a menina era Flor Natalense, lá do Nordeste...

Kisses for you!

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Chorei até ficar com dó de mim.

Hoje de manhã eu fui fazer uma entrevista de emprego (tomara que dê certo), e ouvindo rádio no metrô, teve uma hora q pegou um estação pirata e tava tocando uma música péssima do Cauby Peixoto (q loucura), só que desta vez eu resolvi ouvir e percebi o quanto música bega as vezes faz sentido na vida da gente.
Eu pelo menos, sou movida a música e a paixões, não consigo fazer nada que seja diferente. Não sei ser metade, me confundo, porém acabo achando a solução.
Voltando à música, me senti na pele do Chico Buarque (quem escreveu), percebi q a letra me retratou em momentos e...

Chorei, chorei, até ficar com dó de mim (dentro do metrô).

Sorte q eu tava com tempo e a cara não ficou tão inchada rsrs.

Vai ai a letra pra vocês verem como Cauby, as vezes é biscoito fino kkkkkkkkk.

Kisses for you!

Bastidores
Cauby Peixoto
Composição: Chico Buarque

Chorei, chorei, até ficar com dó de mim
E me tranquei no camarim
Tomei um calmante
Um excitante e um bocado de gim
Amaldiçoei o dia em que te conheci
Com muitos brilhos me vesti
Depois me pintei, me pintei, me pintei, me pintei

Cantei, cantei
Jamais cantei tão lindo assim
E os homens lá pedindo bis
Bebâdos e febris a se rasgar por mim
Não vi,troquei, voltei
Correndo ao nosso lar
Voltei pra me certificar
Que tu nunca mais vais voltar, vais voltar, vais voltar
Cantei, cantei
Nem sei como eu cantava assim
Só sei que todo cabaré me aplaudiu de pé quando cheguei ao fim.
Mas não,visei, voltei
Correndo ao nosso lar
Voltei pra me certificar
Que tu nunca mais vais voltar, vais voltar, vais voltar
Cantei, cantei
Jamais cantei tão lindo assim
E os homens lá pedindo bis
Bebâdos e febris à se rasgar por mim
Chorei, chorei até ficar com dó de mim.

sábado, 9 de agosto de 2008

Feliz Dia dos Pais (nossa nem v q tinha escrito com S o feliz kkkk).


Oi, agora voltei bem melhor. Eu não disse que a maluquice do post passado só podia ser TPM, e graças a Deus, foi mesmo.

Tô aqui agora para desejar um feliz dia dos pais para todos os meus amigos, conhecidos e para os pais de todo mundo.

Em especial vai um alô pro meu pai (meio doido né, mais é o que eu tenho), e um beijo enorme e carinhoso pro meu cumpadre que vai ser pai ano q vem, mas já pode comemorar pq seu bebezinho já está guardado na casinha da minha amiga.

Pro meu marido... nossa nem sei por onde começar.

Pra ele eu quero dizer que a experiência de ter um filho está sendo maravilhosa, estamos tendo dias intensos e brilhosos desde a chegada da nossa princesinha.

Deixo claro também que ele é um pai maravilhoso, atencioso e muito apaixonado pela filha dele. É lindo ver o brilhos nos olhos dos dois quando se olham, é lindo ver o quanto de amor alguém pode deixar transparecer mesmo sem pensar, e ele faz isso por ela o tempo todo. Está sendo gratificante ver o sorriso nos olhos dele após uma gracinha, um beiçinho e um chorinho. Ser pai é mais que prover, é amar, cuidar e desejar, e isso Fábio tá fazendo super bem.

Meu presente pra ele? Já dei, está fazendo 10 meses hoje e vai poder passar o dia de amanhã grudada no "Taitai" dela, como ela mesmo o chama.


Parabéns amor pelo seu dia!


Kisses for you!!

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Dias intermináveis.

Sabe aqueles dias que você acha que nunca irão passar? Estou vivendo eles a fina flor da pele. Sem saber o que eu quero, o que preciso e para onde eu vou.
As horas passam lentamente e eu continuo aqui, com a certeza de que nada sei e que preciso incorporar algo que ainda não descobri o que é.

Ai, filosófico...

Não pensem que estão diante de alguém mal resolvido com a vida, pelo contrário, curto bastante tudo que a vida veio me oferecendo, só que como tudoser humano que se preze (inclusive mulheres), tenho uma inquietação constante.

Talvez a falta de trabalho (e olha q tenho procurado feito louca), esteja me deixando assim, meio tonta, sentindo saudades de coisas que não sei quais são, como diria o mestre Renato Russo " essa saudade que eu sinto de tudo que eu ainda não vi..."

Devaneios a parte e tentativas de explicações inesplicáveis, consegui fazer um balanço geral meio que torto: Preciso agir! Estou parada no tempo, com ferramentas certas, porém sem qualificações para começar a obra.
Onde encontro atualizações ou cursos de aperfeiçoamento da vida? Me falem, estou precisando.
E uma coisa é certa, apesar desse momento chatinho, tenho bens preciosos na minha vida e sinto que por eles e para eles tenho que voltar a tomar as rédeas da minha vida que estão perdidas nas mãos de um adestrador qualquer (não entendam mal, só fiz um paradoxo entre rédeas e adestrador, nada tem a ver com amante ok, lembrem-se sou HIPER casada).

Estou cansada! Cansada de não saber o que quero, de querer o que não sei e principalmente de me sentir sozinha no meio de uma montanha de pessoas. Fase introspectva? Talvez. Está valendo a pena? Não sei. O que fazer? Se eu soubesse, eu juro que não estava amolando ninguém...

Chega de lamento!

Mas eu precisava compartilhar. Me senti agora com 13 anos onde eu escrevia na minha agenda as loucuras de adolescente. Será que perto dos 30 a gente vai tendo essas crises mesmo ou são furtos da minha mente intelectual surreal?

Que seja. Quero paz no meu coração, hoje, agora e sempre.


Kisses for you!

PS: Acho que amanhã eu melhoro, até pq, desconfio que estou na TPM.

sábado, 2 de agosto de 2008

Vida de mãe!


Gente, hoje é sábado, tá um calor atípico de inverno e a noite está lindona. Deveria eu, uma mulher de 27 anos estar caindo na night com meu maridão, tomando uns biricuticos, rindo horrores do povo que sempre é sem noção, mas, enfim, cá estou eu na internet porque... Sra Maria Ísis (foi assim q a moça do consultório do pediatra avisou q podiámos entrar kkkk), está uma chata!


Gripe, dentes nascendo, nariz escorrendo, um probleminha de inanição que sempre ocorre quando não deve, uma palavra que não quer calar - mamama (full time), ah e uma gripe em mim que ela passou pq só quer dormir AGARRADA na mamama.


Cara, logo hoje, que eu queria tanto me divertir, tinha um aniversário hiper legal pra ir, a cri"ONÇA" resolveu se encher de neuras. Mas não tem problema, em outros tempos eu estaria estressada e ficaria com cara de cú o tempo todo, mas ainda assim, vale a pena.

Vale a pena o amor, a carinha de safada, os biquinhos de choro, as astúcias querendo "explorar" um mundo de 4 cômodos rsrs, vale a pena a existência pura e simples do ser mais maravilhoso que eu já conheci e por coincidência, tive a grande missão de gerar, prover, educar e AMAR.

Tô feliz! Não matei o presidente (essa música é péssima kkkk), mas ganhei o melhor sorriso do mundo só pra mim.


Kisses for you!