sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Nem tudo que reluz é ouro.

Estou besta como minha assiduidade nesse blog vem crescendo. Acho que preciso de férias sempre.

Vim falar de uma coisa que pra mim é vital: amizade. Sempre fui uma pessoa de muitos amigos, inserida em várias turmas e acho que bastante querida. Fato que sempre me orgulhei muito.

Hoje os muitos amigos se transformaram num grupo seleto que posso realmente contar nos dedos. Aquele pessoal que vive dizendo que está com saudades, que te ama e coisa e tal, mas não te liga, não te procura... To fora!

Posso dizer que hoje, só posso contar com poucas pessoas além da minha mãe e de meu marido! E para essas pessoa que a partir de agora dedicarei meu tempo, darei meu carinho e amizade.

#beijonoombro

Vê 

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Perigo

Há certas coisas que você nunca acostuma. Uma delas é a briga pelo controle de pontos de droga no Rio de Janeiro. 
Existe um descaso tão grande por parte das autoridades que chega a beirar o caos. 
Essa noite ouvimos (algumas pessoas presenciaram) o poderio das armas e a ousadia dos meliantes, que não poupam esforços para alcançar seus objetivos.

Pela rede social, comentando um post de uma amiga, eu disse que "desacostumei". Na verdade passei a conviver com uma realidade sem tiros, diferente de quando morava no Rio.
Morro de pena de quem mora em comunidade e imediações, porque as pessoas não tem culpa e nem merecem passar pelo pavor e medo que enfrentam diariamente.

Será que um dia vamos ter sossego? Será que os cariocas um dia terão paz em suas vidas para criarem seus filhos e viver em paz?

Nas próximas eleições não votem! Por favor!

Até mais,

sábado, 4 de janeiro de 2014

Agora eu tenho certeza.

Há cerca de 2 anos e meio eu mudei com a minha família para outra cidade por conta do trabalho do meu marido. Quem acompanhao blog sabe o quanto eu falei a respeito. Tinha saudades do Rio de Janeiro, do sotaque, da praticidade, dos amigos, enfim de tudo!

Hoje estou de férias no mesmo Rio de Janeiro que tanto amo e posso afirmar com certeza: hoje aqui não é o meu lugar.

Sinto saudades da minha casa, do clima, dos amigos que eu não tenho por lá (porque aqui tenho tantos que eles  somem), de contar só comigo e meu marido, saudades de ninguém dizer que sente saudades de mim e não vem me ver...

Enfim, uma vez uma amiga disse pra mim que somente ela, o marido e os filhos que valiam a pena. Achei forte, mas hoje tenho certeza que ela está coberta de razão! 

Com exceção de alguns poucos amigos e minha mãe, o resto realmente é o resto!
Beijos,
Vê 

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Chegou 2014!

Na primeira do ano que chegou sem graça, sem energia elétrica, sem ar condicionado e com muito calor (e sem praia mesmo estando no RJ), tive um sonho agora num cochilo no sofá e resolvi postar.
Quem acompanha o blog ou já leu alguma coisas aqui viu que há um tempo atrás eu perdi um grande amigo após ter contraído uma doença oportunista em decorrência do HIV (fato que a família nunca admitiu).
Então, em 06/12 passado fizeram 7 anos da morte desse rapaz. Eu confesso que não lembrei, mas hoje tive um sonho tão real que até me assustei!
Como estou de férias no Rio de Janeiro, acho que o subconsciente aflorou. Sonhei que encontrava a mãe do moço na rua, que conversávamos e instintivamente eu perguntava pelo meu amigo. De dentro da casa saia uma pessoa muito parecida com ele e vinha em minha direção com muita ternura, me abraçava, me beijava e dizia que tinha saudades. Assim passamos tempo conversando e "lembrando" das coisas do passado!
Até que fui embora é lá pelas tantas eu lembrei: como assim vivo? Eu fui no enterro, o cara morreu! Voltei pra brigar com a Mãe dele óbvio e a explicação foi que eu precisava desse contato já que ele morreu e nós estávamos brigados há pelo menos 10 anos.
Acordei com o telefone tocando e assustada. Será que isso tem alguma explicação? Vou orar pela alma dele!
Feliz 2014 pessoas queridas.