quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Rock in Rio 2011

Bem, eu normalmente não falo de coisas que estão batidas para não cansar os leitores e principalmente não me cansar e acabar sendo repetitiva. Mas hoje, senti vontade de falar do Rock in Rio.


Como eu ando morrendo de insônia desde que cheguei aqui em Piracicaba, confesso que mesmo com atrações duvidosas e shows ruins, eu tenho gostado de assistir, até porque eu já tive a oportunidade de ir a uma edição, a de 2001, e vale a pena sim, pelo festival, pela grandiosidade da organização e coisa e tal.


Agora falando das atrações, não vou aqui dizer que fulano ou ciclano deveriam ou não estar no festival, porém uma coisa é certa, VALEU MUITO A PENA VER O TRIBUTO À LEGIÃO URBANA... Ok que o Rogério Flausino desafinou, ou melhor escorregou; que a versão de Índios com a Pitty pulando feito louca ficou estranha; que Tony Platão era Cássia Eller encarnado; que Herbert Vianna não mostrou o quão maravilhoso ele é e principalmente que Dinho Ouro Preto salvou o show.


Nada disso é importante perto da obra da Legião Urbana; de ver Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá tão bons quanto antes; de ver seus filhos tocando a linda obra que os pais construíram ao longo de quase 20 anos de banda, de ver que fãs da Legião não tem credo, raça, posição social, idade, eles simplesmente existem e isso basta!


Eu chorei do início ao fim do show, não prestei atenção nos intérpretes, pra mim Renato Russo tava no palco o tempo todo cantando brilhantemente e sendo irreverente como sempre. Fui capaz de ouvir ao final de uma das músicas a célebre frase dele dita no show "Como é que se diz eu te amo", realizado no Rio de Janeiro  - "EU AMO SER IDOLATRADO!"


Ser fã é isso, amar, idolatrar, sorrir, chorar, se encantar, ter trilha sonora, enfim é viver e sentir a música de seus ídolos no coração e na alma.


Pra fechar com chave de ouro, eu deixo aqui a minha preferida dentre todas, se é que fã da Legião tem preferida, a gente gosta de tudo mesmo.


Beijos e bora dançar com Jamiroquai





quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Faxina Social

ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE - ECA - LEI 8.069/1990.


A Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, estabelece em seu art. 227, os Direitos
da Criança Brasil. O Estatuto da Criança e do Adolescente, o ECA regulamentou o art. 227 da
Constituição, em grande parte inspirado nos Instrumentos Internacionais de Direitos Humanos da
ONU, e em especial, na Declaração dos Direitos da Criança, nos "Princípios das Nações Unidas
para a prevenção da deliqüência juvenil", nas "Regras Mínimas das Nações Unidas para a
Administração da Justiça Juvenil"e "Regras das Nações Unidas para proteção de menores
privados de liberdade".




Vinte e um anos se passaram após a promulgação do ECA, que vinha a ser o grande "salvador da pátria" frente ao extinto e arcaíco Código de Menores.
Não só a nomenclatura que mudou, mas também as terminologias que antes eram pejorativas e de caráter completamente excludente.
Enfim, uma legislação que tem por obrigação fazer valer os direitos e também elucidar os deveres dessa parcela da sociedade, que teoricamente serão os futuros gestores do nosso país.


Seria tudo maravilhoso se a lei fosse completamente cumprida, em todos os seus artigos. Hoje, podemos observar que no que diz respeito à criminalidade, isso sim é cumprido à risca, porém, garantia de direito à saúde, educação, moradia, convivência familiar, direito à brincadeira, isso é quase impossível.


Vocês leitores podem estar sem perguntando: Por que cargas d'água essa maluca resolveu falar disso? Bem, primeiro pela profissão, sou assistente social e depois principalmente por conta de um programa que eu vi na última terça feira, na rede Bandeirantes de televisão, chamado A LIGA. O foco do programa era o desrespeito a esse grupo social. Subdividiram o programa em 4 aspectos:
  1. Penintenciária de Patos - PB: Detentas que criavam seus bebês até os 6 meses de idade em condições subhumanas dentro de minusculas celas (pela Lei, é direito do bebê e de suas mães, conviverem até os 6 meses de idade onde a amamentação pressupõe-se que deva ser exclusiva, após o período determinado, caso não possua familiar que possa levar o bebê embora da penitenciária, este é indicado imediatamente à adoção).
  2. Suzano - SP: Adolescente de 15 anos de idade que foi privado de sua liberdade, cumprindo medida socioeducativa de 6 meses e 8 dias, por constatarem envolvimento com o tráfico de drogas.
  3. Recife - PE: A prostituição e exploração infantil tendo como objetivo principal o consumo de crack.
  4. Rio de Janeiro - RJ: Meninos de rua e seu dia a dia lutando pela sobrevivência.
Bem, não adianta eu ficar falando um monte de coisas sobre o programa em si, porque acho que não é pertinente e nem o foco do que eu estou querendo falar, mas dentro de tudo isso que foi resumidissimo ai em cima, o que dá o tom fúnebre é que o Brasil NUNCA ESTEVE E TALVEZ NUNCA ESTARÁ preparado para lidar com as mazelas da sociedade.


Sim, mazelas, porque são deslocadas para debaixo do tapete dia a dia. Uma lei que tem 21 anos e ainda não é totalmente cumprida, tem que ter algum problema. Primeiro, como diz o parágrafo lá de cima, baseamos a sua construção em vários escritos internacionais que NADA TÊM a ver com a realidade brasileira.


Somos um país populoso, de expansão territorial gigantesca e principalmente multirracial, o que começa gerando desconforto, preconceito e principalmente segregação, mesmo que seja por debaios dos panos.


No programa, fora mostrado em pararelo às reportagens, momentos de uma entrevista com a Ministra dos Direitos Humanos, Sra. Maria do Rosário (que sabia a fórmula do que fazer e não faz não sei porque...), e com o subsecretário de direitos humanos do Recife (este passou o tempo todo dizendo que o Governo do Estado e a Prefeitura de Recife estavam "fazendo a sua parte"), que no fim das contas, pouco respondeu às questões que com certeza se formaram na cabeça dos cidadãos pensantes do país que assistiram a matéria.


Enfim, um país que está seriamente empenhado na construção de estádios de futebol para a Copa de Mundo; enaltecer o Rock in Rio, numa cidade cheia de problemas e a maior exclusora social do país (eu sou do Rio e afirmo) e principalmente, gastar trilhões em obras, quando saúde, educação e habitação estão completamente sucateados.


Sinceramente, fazia tempo que não me dava conta de como a situação das crianças e adolescentes em risco social estava complicada.


Enquanto não houver incentivos a uma educação pública de qualidade, um Estado que possa garantir minimamente os direitos e enaltecer os deveres dos cidadãos, não haverá progresso.


Cidadãos "burros" + Estado sem ação = Criminalidade, fome e miséria.


Acho que falei e não disse nada, mas eu precisava desabafar.


Veronica Guimarães
Assistente Social registrada no Conselho Regional de Serviço Social do Estado do Rio de Janeiro.

domingo, 11 de setembro de 2011

Dois meses

Olá pessoal querido.
Saudade imensa de postar aqui, mas aos poucos eu vou fazendo as pazes com o blog, ainda mais porque o meu Desktop está instalado, porque postar do notebook é um saco, não me acostumo definitivamente com aquele teclado horrível.

Bem, agora chega de reclamação! Vim aqui para dizer que estou assustada em como o tempo está passando rápido. Enquanto hoje, 11 de setembro, o mundo fala dos 10 anos do atentado ao World Trade Center, eu venho nada humilde falar dos meus 2 meses em Piracicaba.

Realmente a vida nos prega peças e como diz um ditadinho clichè: "Quando a gente acha todas as respostas a vida vem e muda as perguntas..." De fato é muito isso. Saí do RJ com uma idéia fixa de que eu iria TENTAR (note bem a ênfase no verbo) ser feliz. Tinha pelan certeza de que eu sofreria de saudades, que em uma semana iria querer voltar, que a cidade seria um tédio, que eu não conseguiria ter amigos, que... um monte de absurdos.

Passados exatos 60 dias, eu percebo que minha dose de Fernanda Montenegro sumiu! Cadê o drama, a necessidade de estar no topo do mundo? Nossa, sumiu. E sinceramente, tá bom pra caramba do jeito que está. Sinto sim, saudades todos os dias da minha família, da praticidade que eu tinha no RJ, de como eu ia e vinha sem problemas, porém consigo ver também o enorme crescimento que essa mudança vêm proporcionando a mim e minha família.

É isso, que venham mais 60 dias multiplicados por qualquer número que Deus quiser. Que o crescimento pessoal e profissional da minha família esteja sempre acima de tudo e que a saudade seja sim uma constante, porém que possamos seguir sempre em frente, sem sofrer e sem dramatizar.

Pra celebrar essa nova era, eu fico com uma música que pra mim sempre tem significado, aliás, eu arrumo qq um porque eu simplesmente amo!

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Em falta e em alta.

Nossa, realmente essa mudança para a roça fez meu Hard Disk ficar mais lento, seguindo os parâmetros do lugar.


Dia 17 de agosto o blog completou 4 anos e eu deixei passar batido. Esqueci completamente. E logo esse ano que eu tinha pensado em fazer várias coisas legais, já que eu tenho tempo da mesma forma que eu tinha quando o criei. Enfim, esqueci e agora a Inês é morta!


Domingo completei 7 anos de casamento. Foi muito bacana porque passamos um domingão em família e aproveitamos para conhecer um dos pontos turísticos aqui de Piracicaba - o Parque da Rua do Porto, onde fica o Engenho Central. Muito legal, ainda mais pq tava um solzão digno do meu RJ.


Andamos, vimos coisas legais, tiramos algumas fotografias e nos divertimos. Acho que o grande lance que eu queria quando vim pra cá tá se afirmando. Cada vez mais juntos, apenas nós, um cuidando do outro e os dois cuidando da pequena.


É isso pessoas, saudades de escrever com mais frequência, mas eu confesso, pouca inspiração e muita coisa pra ver e fazer, desbravando a nova cidade.


Ah e contando os dias para minha estada no RJ, que deve ser no meado de outubro. Saudades do meu povo!.


Beijos em todos e bom feriado.