terça-feira, 25 de março de 2014

As surpresas das redes sociais.

Eu sempre fui relutante quanto ao ingresso em redes sociais. Lembro que na época do finado Orkut, eu ria dos meus colegas de trabalho que viviam lendo coisas, postando fotos e afins.
Até que um dia resolvi experimentar e não parei mais. Migrei ao Facebook, mesmo não sabendo usar, tenho Twitter que quase nunca uso e instagram que pouco uso também. 
Ok, mais porque essa ladainha? Simples, para dizer o quanto anda cansativo viver e ver o que acontece nas redes sociais.
Há aqueles que prestam serviços à comunidade e compartilham coisas realmente interessantes; os engraçados com tiradas que servem pra te alegrar; os pseudo-intelectuais que só falam asneiras e a pior categoria: os analfabetos funcionais que se definem através de frases contidas em pagodes. Esses sim me tiram completamente do sério. 
Nada contra curtir um determinado gênero musical, até porque gosto é igual time, cada um tem o seu. Mas me incomoda muito as pessoas que escrevem mal, e quando falo do mal, falo do quanto é ruim para os meus olhos ler graves erros de português. Faz o mesmo efeito da audição.
Fico triste sabe, porque na maioria das vezes são pessoas que poderiam gastar mais tempo lendo um bom livro para aperfeiçoar o vocabulário, aproveitar mais o tempo na sala de aula, seja qual for o nível em que se encontram, mais não, vão se definir com trecho de musicas do Belo, por exemplo.
Sempre achei e continuo tendo o mesmo pensamento que somente com educação de boa qualidade teremos um país justo e igualitário. Só que isso é discussão para outra esfera.
Nesse momento só peço aos queridos e queridas que utilizam a internet como ferramenta de diversão, trabalho e afins, que considerem a utilização de dicionários, gramáticas e principalmente de leituras que enriqueçam não só seu vocabulário, mas também sua vida.
Por um mundo virtual sem chacotas.


Beijos caipiras,
Vê😘