quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Metidinha...

Olá pessoal querido.

Um tempinho sem vir aqui porque a coisa tá preta aqui na roça rs. Primeiro a filhota pegou uma catapora das brabas e lógico que eu tive de ficar de molho literalmente e ainda mais disponível pra ela pq a bicha ficou arriadinha; depois pq ainda no processo da habilitação, só consegui fazer os exames na semana passada e a grana pra pagar o CFC só saiu hoje, o que acaba dificultando as coisas um pouco.

Acredito eu que na semana que ve, quando a filha está liberada para voltar a escola, eu consiga resolver tudo e começar finalmente as aulas teóricas, não vejo a hora, quero ir pro RJ com a minha habilitação nas mãos (estarei na minha terrinha no meado de outubro de férias).

Agora o mais legar de tudo foi o seguinte: Há tempos eu sigo um blog muito bacana chamado Três Mulheres em Uma, da jornalista, mãe, esposa, trabalhadora e tudo mais Carolina Valente. Ai o blog passou por uma reforma geral e ficou melhor ainda e hoje, chique de doer é escrito a seis mãos, de Carol, de Cintia e de Celênia.

Daí Carol me convidou para uma entrevista no blog e fiquei muito lisonjeada. Gostaria de compartilhar com vocês e também convidar a todos que sigam o blog das meninas, é uma fofura.

Eis aqui a minha entrevista. Para quem não me conhece ao vivo, tem fotos.

Beijos mil,


segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Sonhando um choro de saudades.

Hoje eu dei uma dormida na parte da tarde porque estava morrendo de cólica, ai peguei pesadão no sono mesmo e acabei sonhando. Coisa que eu não fazia há uns dias porque como eu ando sofrendo de insônia, meu sono da noite é "muito pouco ou quase nada" como já disse o Rappa.

Eis que o sonho foi assim: Rio de Janeiro, minha casa antiga, mas uma casa em que eu morei quando era adolescente, na verdade era um apartamento com um play maneirinho. Lá estavam todas as pessoas queridas entre familiares e amigos e até vizinhos antigos e mais recentes. Todos reunidos na minha festa de despedida da cidade maravilhosa.

Entre visitas, homenagens e etc, aconteceu algo que eu não fiz aqui mais fiz no sonho que me deixou de alma leve e lavada. CHOREI. Sim, chorei como nunca, algo tão profundo que eu tive a sensação de que acontecia realmente, tanto que ao aocrodar, senti aquela coisinha tipo um soluço sabe, de tanto chorar.

Mas o choro não era de tristeza, era saudade, gratidão, agradecimento a todos que fazem e fizerm parte da minha vida e da construçao da minha história.

Eu na verdade achei que ao chegar aqui eu ia sorer muito, porque eu NUNCA fiquei longe da minha família extensa, da minha mãe e coisa e tal, mas pelo contrário, estou feliz com a minha nova vida, com os desafios que ela está nos mostrando, com as novas possibilidades de crescimento e principalmente com a união entre mim e meu marido, que sincermente tá valendo cada dia.

Morro de saudades da minha terra, da minha gente, das pessoas que "falam a minha língua", do meu sotaque, da bagunça que a minha família faz em festas, de como somos unidos, das minhas primas-irmãs, ds minhas amigas, da minha comunidade. Enfim, eu descobri que saudade não é algo ruim, pelo contrário é algo necessário para o rescimento pessoal principlmente quando você quer ir mais além.

O estar em Piracicaba não foi algo que planejamos, mas desde o momento em que a situação se mostrou, tentamos da melhor maneira possível agir com serenidade e cautela.

Ficou a sensação de alívio e de que a minha vida nem sempre precisa ser um dramalhão como eu sempre gostei. Sofrer em demasia provocas males à saúde e eu quero estar sempre saudável e feliz.

Nesse um mês de nova vida, fica a saudade sim, a certeza de que pequenas coisas têm um valor grandioso quando não temos por perto.

Estou feliz, saudosa sim, mas feliz e tendo a certeza de que fizemos a escolha certa...

E no Rio de Janeiro eu penso em... a partir de agora apenas um local pra passar férias (pelo menos por enquanto, não sei daqui há um tempo).

Um beijo grande,

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Feliz Aniversário Anna Luísa - postado na madruga diretamente no facebook

Ela cresceu!

Eu tinha 14 anos quando ela nasceu. Lembro como se fosse hoje do dia que a minha mãe chegou em casa dizendo que a gente ia ter um bebê na família. Nossa, fiquei tentando saber quem era que nos daria esse presentinho, ai minha mãe disse: A Lu tá esperando um bebê!

Fiquei mega feliz, sempre me identifiquei muito com essa prima querida e a felicidade dela era a minha também, apesar da minha pouca idade

Eis que passaram-se os meses e o dia do nascimento da criancinha chegou. Há exatos 16 anos (acho que nesse momento não tão exatos por se não falha a memória a mocinha nasceu de tarde), no dia 09 de agosto de 1995 estrelava ANNA LUíSA, hoje chamada de Anna Lú nas redes sociais; promoter de festas e afins, cercada de bons amigos, rodeada de uma família que a ama muito e que torce muito pela felicidade dela e que também não deixa de pegar no pé, afinal família é pra isso.

O tempo passou, eu casei, nasceu a Maria Ísis e eu quis retribuir o carinho que a minha querida prima Lu, mãe da Anna Lú sempre teve comigo e resolvi fazer diferente: ao invés de convidá-la pra participar como madrinha da minha filha, escolhi a filha dela.

Ai temos Anna Lú, dinda da Maria Ísis, tia, irmã, sobrinha, afilhada, prima, filha, neta, amiga e o principal: saudável e feliz.

Feliz aniversário querida! Mais juízo, nenhuma arrogância, nada de prepotência e que nunca te faltem ombros onde possa se encostar quando precisar!

Um beijo grandão,

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Coisas que só fazemos depois que construímos família.

Semana passada eu tive a melhor notícia de todos os tempos #exageradamodeon - Tears for Fears, a minha banda favorita entre odas fará shows no Brasil em outubro. Lógico que depois de uma notícia destas, eu pirei. Liguei pra saber preço de ingressos, fiz cotação de passagem e blá blá blá. Já estava contando nos dedos os dias pra chegar esse show que será memorável.

Eis que uma informação acaba comigo. As férias do marido só saem em 15 de outubro; o show é dia 08 de outubro e o aniversário de 4 anos da filha é no dia 09 de outubro. Dou um doce se vcs adivinharem se eu vou o não ao show. CLARO QUE NÃO!

Eu na hora falei pro marido: Ai amor, já qe ra vc não dá, tem problema não, eu vou e te encontro no RJ na semana seguinte. Esqueci completamente que fazendo isso eu iria privar o homem da passar o aniversário da filha junto com ela.

Ai bateu a dor! Na verdade frustração de saber que algo que eu queria e esperava há anos (o último show da banda foi em 2004, eu tinha 14 anos e lógico que não fui - ps: enquanto a molecada de hj curte Restart, na minha época ouviamos Tears for Fears).

Não chorei, porque por incrivel que pareça eu ando meio "seca" depois que cheguei aqui em Pira, deve ser o clima que anda secando minhas lágrimas ou então e resolvi não ceder aos dramas que eu geralmente faço rsrs.

Enfim, vou ficar em casa, não vou ver o show pela segunda vez, vou torcer para que eles façam algo memorável e queiram voltar novamente, assim como Pearl Jam tá fazendo pela terceira ou quarta vez se não falha a memória. Mas em compensação de tudo, vou ter a companhia da minha mãe por uns bons dias aqui na roça e depois, ai sim vamos ao RJ.

Que jeito né? Mas mesmo assim é bom ter família, ter filhos, ter marido, mesmo que isso nos faça abdicar de coisas que queremos MUITO!

Pra não deixar passar, fica uma musiquinha que amo, aliás, uma delas né, por falando dessa bnda fantástica, não tem uma só música que não seja maravilhosa. Essa me lembra 1995, quando ganhei de presente no níver de 15 anos o cd orginalissimo da coletânea que por sinal toca ATÉ HJ 16 ANOS DEPOIS!


terça-feira, 2 de agosto de 2011

Nem tudo são flores e pamonhas em Piracicaba.

Oi pessoal, tempinho sem aparecer. Vida corrida pacas apesar de não estar trabalhando fora, mas cuidar dessa casa grande ta acabando comigo rsrs. E a ladeira pra levar a Maria na escola? Putz, coisa de maluco.

Vim aqui pra dar uma desabafada mesmo. No domingo, liguei cedo pra minha mãe e quando ela atendeu estava chorando muito. Disse que estava com muitas saudades e que estava doendo muito. Nossa, fiquei de coração partido. Minha vontade foi de ir na hora pra "casa", mas consegui fazer algo que eu achava impossível, já que eu sou chegada a um drama: não chorei e ainda dei forças pra ela; inédito né?

Pois e, mas mesmo assim meu dia foi chato, arrastado e passei o tempo todo pensando nela, enviando boas vibrações e pedindo a Deus que acalmasse seu coração. Disse também que a casa aqui tá de portas abertas, se ela quiser largar tudo lá e vir pra cá, como dizemos nos RJ, "tamojunto".

Como sempre depois de algo chato vem coisa boa, minhas primas se organizaram ontem e nos falamos via webcam. Muito bom, deu pra matar um pouco da saudade e eu senti sinceramente que mamãe ficou um pouco mais leve. Mostrei a casa toda, conversamos, rimos e acho que valeu a pena.

Depos disso sabe o que aconteceu? Eu finalmente depois de uase um mês DORMI a noite toda. Acho que fiquei tranquila ao vê-la saber que ta tudo bem.

Agora o combinado é que ela venha em outubro e que depois passemos uns dias no RJ. Não vejo a hora.

Ah, ontem, 01 de agosto, nasceu Alice, filha dos queridos afilhados Fabiana e Leandro. Bebês sempre alegram as casas e as vidas. Parabéns queridos. Paz, saúde e muitas felicidades para essa família linda.

Beijos grandes,