segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

O que a Prefeitura do Rio ganha?

Olá pessoal!

Diretamente da terra do samba e do carnaval venho aqui manifestar a minha total alegria - e o meu cansaço também - depois de ter acompanhado ontem (domingo 23/01) o Ensaio Técnico das Escolas de Samba do Grupo Especial e do Grupo de Acesso do Rio de Janeiro.

De uns anos pra cá as escolas de samba vêm fazendo ensaios na Marquês de Sapucaí, de graça, dando uma palhinha do desfile oficial, trazendo seus componentes, enredos, samba e suas celebridades.

Ontem foi dia da Renascer de Jacarepaguá, uma escola do grupo A que vem na briga por uma vaga no grupo especial no carnaval de 2012;
Grande Rio, a escola "Global" - um dia vou entender como uma escola da baixada fluminense, tão longe do Projac e do Jardim Botânico ter tantosssssss globais;
E por último, pra lavar a alma, a minha Estação Primeira de Mangueira... nem preciso dizer que tô morta com farofa!

Mas enfim, além de ter me divertido, a parte da criatura que também pensa logo existe, aflorou. Dai fiquei pensando... O que a prefeitura da minha cidade está ganhando com isso?

Entradas gratuitas; zilhões de camelôs não registrados; celebridades e tudo mais. Porque, no dia dos desfiles oficiais, entradas chegam a R$ 20.000, então fica dificil saber onde tá o lucro de uma cidade que turisticamente falando, não joga pra perder.

Vou descobrir!

Enquanto isso não acontece, vamos nós povão nos deliciando com um espetáculo que é nosso, feito pela nossa gente e admirado por todos, mesmo por aqueles que não curtem carnaval.

Tá chegando...

Beijos beijos,



PS: Melhor da noite: minha gatinha sambou muito. Será que ela vai ser passista? rsrs

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

O casamento do meu melhor amigo



Acabei de ver esse filme tem uns minutos, e tive a certeza de que me orgulho MUITO de ser mulherzinha sim, de gostar de filmes românticos sim e principalmente de AMAR músicas que tenham um significado.

Eu sempre me coloco no lugar de quem escreveu, de quem cantou e também sinto a música no fundo da minha alma...

Independente do filme ser um xarope americano, eu confesso, assisto sempre que passa, só essa semana eu vi 2 vezes rsrs.

Pela Julia Roberts que é ótima e maravilhosa, pelo ator que faz o George, amigo gay dela no filme - Rupert Everett e PRINCIPALMENTE por: Dermot Mulroney, que é o amigo que se casa. Ele é uma delícia, tem uma cicatriz no lábio superior igualzinha a do meu maridão... adoro!

E vivam as grandes e lindas histórias de amor!
Um outro viva para as músicas imortalizadas, nesse caso, I say a little prayer!

Bjos,

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

O dificil desligamento

Ao longo da minha trajetória, uma coisa da qual sempre me orgulhei foi de não esconder meus sentimentos, sejam eles quais fossem. Sempre tive uma boa relação interior comigo mesma e isso facilitou a minha relação interpessoal; claro que como boa humana que sou, vez ou outra isso falah, mas faz parte.

Hoje estou num processo complicado e doloroso (pelo menos pra mim) de pedir demissão. É pessoal, pode parecer simples, mas para mim está envolvendo o tal sentimento - nesse caso a gratidão imensa.

Quem acompanha o blog sabe da saga para voltar ao mercado de trabalho depois de 2 longos anos em casa após o nascimento da Maria. A pessoa que me ofereceu o emprego é alguém muito bacana, com um coração imenso e bondoso, porém preciso me desligar. Primeiro por questões de trabalho mesmo, eu sou assistente social e tenho vinculação na área de turismo - nada a ver, mas como eu já tinha trabalhado com algo semelhante, valeu o desafio.

Só que no meio tempo, eu consegui um emprego na minha área, atuando do jeito que eu sempre quis, dai de lá para cá, venho conciliando os 2 trabalhos da melhor maneira possivel, mas depois de 2 semanas de férias e algumas revelações pessoais, descobri que estou muito, mas muito cansada. Trabalhar como assistente social me trás a flexibilidade no horário, trabalhar apenas 2 dias e meio por semana. Ok, uma beleza... Porém no tempo que resta, estou na agência.

Na epóca que consegui o segundo emprego, fiz essa proposta não pelo dinheiro, mas pela questão da gratidão sabe, de não querer deixar na mão essa pessoa que tanto me ajudou num momento dificil em que eu encarava uma depressão e uma dependência financeira grande, coisa que pra mim sempre foi o fim dos tempos.

Muito que bem, hoje, passados 5 meses, me sinto mal de não querer mais fazer parte desse universo, mas por outro lado sei que me dedicar mais à minha área de atuação só me fará crescer e preciso disso principalmente porque a minha vida novamente vai mudar radicalmente e experiência profissional sempre faz a gente ganhar alguns pontos.

E agora? Como me desligar sem causar "traumas", sem parecer traídora, apenas querendo agradecer a oportunidade e ir adiante no meu sonho?

Me dêem luzes pessoas!

Beijos grandões!

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Tem coisas que simplesmente são.

Eu sempre fui a favor da liberdade de expressão, de escolhas e principalmente da liberdade pura e simples. Conjunções sociais e imposições nunca fizeram parte do meu ritmo de vida, acho que por isso que eu sou assistente social, uma coisa puxa outra e outra puxa uma...

Entrei aqui logo depois que eu vi um comercial na TV e não queria perder o foco e a inspiração. è um comercial de creme contra estrias e outras coisitas que as grávidas devem/precisam/querem/sei lá o que usam.

Vendo o comercial, resolvi prestar atenção com outros olhos e me lembrei de outros comerciais que remetem à gravidez.

Vocês já perceberam que TODAS as mulheres que fazem comercial de gravidez usam aliança na mão esquerda? Exatamente! Estão ali, simbolizando a felicidade de serem mães (ok, super válido) e principalmente para mostrar que filhos somente são bem vindos e super serão amados se concebidos dentro de um casamento.

Uma grande balela, ao meu ver um puta preconceito, enfim... mas socialmente falando fica mais bonito.

Resolvi ter filhos/engravidei, já no casamento; mas minha situação foi mega diferente como todo mundo já sabe pq falei várias vezes no blog, mas admiro muitas mulheres que se tornaram mães solteiras, vezes por opção e outras vezes por falta dela.

Ser mãe é único e independe do estado civil, numa relação bacana e estável tem uma sensação muito agradavel, porém quem não tem uma relação estável, mas tem seu filhote ali ao lado pra alegrar e pra cuidar, também deve se sentir muito feliz.

Era isso o post.

Beijos e beijos e que 2011 venha forte para todos!

domingo, 2 de janeiro de 2011

Chegou 2011

Beleza, acabaram-se as festas engordativas e o mundo começa retornar ao normal aos poucos.

Quero muito que esse meu ano seja excelente e que tud que está por vir, seja exatamente do jeito que Deus quiser. Prometo que não vou tentar de forma alguma interferir no meu destino.

Pra começar com o pé direito, deixo um videozinho de uma música que simplesmente me faz PIRAR. Conheci no jogo Guitar Hero (que por sinal é o único que eu sei jogar).

Beijos carinhosos e FELIZ 2011!