terça-feira, 30 de setembro de 2008

Quase chegando...

Como o tempo passa rapidamente. Os dias andam simplesmente voando. Faltam poucos dias pro aniversário de 1 ano da minha pequena Maria Ísis e eu tenho me deparado com enfeites, guloseimas, comidinhas, idas e mais idas a supermercados e atacadões de festas, tudo isso para celebrar com todo amor a vida da minha "mei mei". Não perguntem pq do apelidinho, ela que me chamava assim antes de aprender a apalvra mais dita no mundo Mamãe!

Estou feliz, atarefada e cansada, pq ainda por cima pra me colocar em xeque, tem o mestrado correndo por fora e não tenho tido tempo pra estudar, o que é mal, muito mal...

Tenho ficado meio triste tb por causa do trabalho que não consigo e tal, mas...

A carinha de felicidade, os risinhos, os dentinhos, as traquinagens e os beijos amorosos da minha pequena compensam tudo.

E eu que não queria ser mãe...

Depois desse período conturbadinho, terei mais tempo pra mim, pro meu marido (tadinho) e para meus queridos leitores (que estão aumentando a cada dia, amei isso).

Beijos a todos e até breve.

Maria Ísis para vocês... 11 meses, quase 12.



terça-feira, 23 de setembro de 2008

Why?

Por que as relações humanas são tão difíceis?
Por que as pessoas confundem liberdade com libertinagem?
Por que tanta gente precisa levar um saculejo para conseguir andar na linha?

Perguntas que eu ando ainda esperando respostas que nem sempre vêm né!

Tudo isso para exemplificar um papo no msn com uma pessoa especialíssima na minha vida que teve sua confiança abalada por alguém que considerava especial.
No meio do papo a gente foi falando de várias coisas e eu cheguei a conclusão (talvez ledo engano) de que é muito complicado a convivência, ainda mais se esta é com alguém que você se relaciona amorosamente.
Na boa, eu acho que ninguém está atrelado a ninguém por obrigação. Tá, existem pessoas que visam dinheiro, status e poder, mais meu ciclo de amizades tá longe disso pq só tem duros rsrs. Então as pessoas se relacionam por querer mesmo, pq se curtem, pq têm algo em comum (ou pensam que tem).
A maioria das pessoas que eu falo me chamam de insana quando eu digo que eu não acredito em traição propria mente dita. Acho que o ato de estar com outra pessoa pelo instinto carnal é fato sim, acontece em vários relacionamentos estáveis. Não acredito em AMOR pra toda vida (a não ser amores paternos e fraternais). Acredito em confiança e lealdade.

Será que é tão difícil ser leal? Estabelecer parâmteros logo de início na relação? Cara, eu tenho visto amigos e pessoas relativamernte próximas (eu tb já passei por isso recentemente) sofrerem pra cacete porque o outro não foi leal.

Seja sincero, abra o jogo, peça perdão, perdoe, explique-se, tente, recomece, inove, invente, mas não tente ser aquilo que você está longe de ser.

A vida está ai para ser vivida. Somos pessoas que possuímos livre arbítrio e temos direitos de escolhas, até porque a vida é feita delas né.
Agora, não faça o outro sofrer. Seja digno de admitir erros e principalmente de assumir vontades excusas, digamos assim.

Acho que com sinceridade e transparência, tudo flui melhor, até porque é hipócrita demais alguém achar que será o encaixe perfeito do outro pela vida inteira. Considere o fator tempo, a lei da gravidade, a menopausa, a impotência graudual, a falta de libido e tal.

O post não é um LOUVOR àqueles que traem por trair, não mesmo, é só uma alerta que eu faço em nome de alguém legal e em meu nome tb pelo passado que eu vivi de que nada na vida acontece por acaso, existe o destino ai traçando linhas paralelas ao nosso caminho, e que se algo sair diferente do combinado: ABRA O JOGO!

Kisses for you!

PS: Tô ansiosa demais. Comi horrores esse final de semana, acho que engordei uns kgs e ainda não consigo estudaro pro mestrado com o afinco necessário e a 1ª prova é dia 18 de outubro argh!

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Finalmente...

Ai que lindo, meu pc voltou... estou hiper feliz, mas perdi todos os meus arquivos, as fotos recentes da minha filha e principalmente meus arquivos que faziam parte do pré projeto do mestrado... tô bege com isso, enfim, mas não quero pensar pra não deprimir.


Pra que eu ficasse muito feliz, minha lindona Carol (Quase 3.0), me deu esse "selinho" lindo!!!!

Metida eu né?


Então deixo beijos especiais principalmente para Dani (Pessoas Especiais), prometo que visitarei o blog com mais assiduidade.

Kisses for you meu povo!

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Complicando!

Pessoal, me desculpe a ausencia. Meu computador novinho em folha deu um piti basico e estou sem banda larga, sem msn, novamente com o jurassico q nao deixa acentuar e nem mesmo pontuar corretamente.
Vamos ter que esperar mesmo a questao do podcast com a Mimi, porque o motivo da tentativa de suicido do PC foi o Skype q eu baixei para fazer o pod com ela.
Eis que estou na torcida pro meu filhote voltar do medico legal rsrs.

A gente se fala ta galera!

Beijocas
Ve

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Quanta honra!

Gente, tô muito metida.

Recebi um convite da queridona Mimi do Garotas de Vinte Poucos Anos para um podcast com ela. Fiquei super lisonjeada, isso significa que meu bloguinho tá legal e minhas opiniões são lidas e bem aceitas.

Agora, falta só acertarmos dia e hora e eu aviso para vocês tá certo!

Kisses for you!

domingo, 7 de setembro de 2008

Histórias.

Recebi um email de uma amiga falando sobre o término de um relacionamento entre ela e um pessoa que nunca foi seu namorado mas teve uma particiapação especial na sua vida.
Ai, depois de ler e responder minha amiga fiquei pensando nesse tipo de coisa: até que ponto vale a pena manter relações onde os prós são menos marcantes que os contras.
Lembrei de uma situação que aconteceu comigo anos atrás...
Eu passei por um lance complicado na minha vida cerca de 8 anos atrás, e logo em seguida, conheci alguém na night, como era um ficante só, eu resolvi curtir como todos os outros. Só que as coisas tomaram um rumo diferente e eu fui me envolvendo (tb teve a questão do sexo, eu era virgem e o rapaz inaugurou as portas da felicidade). Ficamos juntos uns 6 meses, só que no meio da relação, eu descobri q ele era casado, isso aconteceu da pior maneira possivel, fiquei mal, triste e bastante chateada, até porque eu não me sentia e nem queria ser namorada do cara, era apensas alguém que me atraia, que me pegava de jeito e me fazia sentir muito desejada. Mesmo assim, resolvi insistir nessa relação que teve muitos contras e poucos prós. Ele nunca assumiu isso pra mim, ficava me enrolando e eu sempre esperando q ele fizesse diferente. Só que a vida dá muitas voltas, nesse meio tempo, a cachorra carioca surgiu e eu resolvi botar um ponto final na história (pena q não consegui).
Pra entenderem... meus pais são separados e meu pai mora até hj perto de onde eu trabalhei durante anos, e nessa época as vezes, eu ficava com preguiça de ir pra casa e pousava na casa dele. Uma vez, eu cheguei na casa dele e no caminho ele foi me buscar, demos de cara com um cidadão que eu acho delicioso (até hj), esse moço é hj notoriamente conhecido, mas na época era só um filé q eu achava interessante. Ai comentei com meu pai q ele era bonito, e meu pai falou: Ih Vê, deixa quieto, é muito enrolado!. Só que nesse meio tempo, veio falar conosco o irmão da figura, não menos gato q ele, veio óbvio falar com meu pai pq se interessou por mim (novinha, gostosinha rsrs). Ai eis q a cachorra pensa: "Se não dá pra pegar o fulano, fico com o irmão, me aproximo e depois dou o bote nele." Ledo engano...
O irmão era tudo de bom!!!! Cheiroso, cafajeste, enlouquecedor... Pra vcs terem uma noção, eu que até então só tinha tido um homem na vida (o cara de quem eu começei falando no post), fiz algumas coisas primeira com o cara que são dignas de profissional rsrsrsrs, mas não vem ao caso). EIs q então ele resolveu me dar carona pra casa, eu meti o pé na jaca e pensei: Caralho, fudeu! Meu pai vai saber o q rolou, vai me arrasar e eu vou ficar com fama de puta num local q eu nem moro...!
Sò que no dia seguinte, o cidadão estava me ligando, louco pra me encontrar e eu fui. Mantemos essa relação estranha de sexo drogas e rock in roll durante uns 4 meses. Com esse cara, aprendi muitas coisas da vida, sobre tudo mesmo, e ainda por cima, eu estava ligada ao cara do início do post, sem coragem de terminar pq eu achava q poderia dar certo...
Levei uma relação dupla durante 4 meses (muito cansativo), era terrível pq eu e o amigo do meu pai nos víamos quase todos os dias, ele era solteiro tb, tinha carro e estava sempre onde eu queria estar. Curti muito, só que veio o Carnaval... arrumei uma briga com o 1º e a gente se separou de vez, e o 2º tava lá firme e forte. Só que a coisa foi ficando estranha, pra mim, aos 20 anos, era pura curtição, tirava onda pq ele era lindo, gostoso e mais velho (hj descobri q MUITO mais velho, ele mentiu a idade), e me tirava do sério, coisa q eu sempre curti. Um belo dia, perto do carnaval, eu estava com ele e disse que viajaria com amigas e ele ficou meio chateado. Disse q iria pra outro lugar mais estava contando com minha presença ao lado dele. Eu, na hora, falei..."Não vou mesmo fulano, combinei com minhas amigas e quero zoar muito nesse carnaval, quando eu voltar a gente se vê de novo".
Ai ele disse ali, na lata, então Vê, essa é a última vez q a gente se encontra. Eu pensei em outras coisas pra gente, mas vi q pra vc não dá, não estamos na mesma sintonia...
Saimos de onde estávamos, ele me deixou em casa e se foi... Passei 7 anos sem vê-lo, o encontrei barrigudo, separado, com filho e divertido como sempre, alguém que passou belamente pela minha vida e fez história...só isso, fez história!

Conclusão: Será que valeria a pena eu ter levado adiante a história esquisita com o 1º moço? Claro que não, estaria eu, chorando, triste e não teria a oportunidade de viver um lance mágico com o 2º moço.
Será que valeria a pena eu ter viajado com o 2º moço no carnaval? Claro que não, eu não teria a chance de me divertir tanto como rolou no tal carnaval em cia das amigas...
Não iria ter histórias pra contar.


Kisses for you!

PS: Desculpe o post longo, é que feriadão né rsrsrs!

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

De outros carnavais.

Eu disse que teria um post legal né, então resolvi escrever um caso sobre um carnaval que eu passei em companhia de 11 amigas em Rio das Ostras.
A história aqui pode ter acontecido com qq uma de nós, mas melhor manter o anonimato pra preservar a moça (amiga né gente).
6 horas pra chegar no local, engarrafamento, quase arrastão no caminho e uma van lotada de mulheres... Esse foi o início de um carnaval cheio de loucuras.

Feio...
Homem feio é bom sim, mas quando se pega um feio repetido, caraca, é a derrocada total na vida de uma "female fatale".
Lá nos embalos de R.O., eis que depois de umas (várias) cervejas, vem um menino muito feio, mas cheiroso perto da Gata e dá um idéia de pé do ouvido. A moça já doidona, dá aquela risada clássica de mulher dando mole e acaba caindo na rede do menino. Só que o pior estava por vir, no meio do rala doido o carinha faz a seguinte afirmação: "Fulana, eu já fiquei com você!" Como assim? Em RO, carnaval, samba, suor e cerveja e uma figura repetida? A moça respondeu: Ficou é, e como foi?
O cara não pestanejou... mandou na lata o local, a cor da roupa, como foi a abordagem e tal. A moça se viu em papos de aranha (caraca como pode sair de novo com um feio e ainda por cima lá em RO). Tadinha deu pena dela!

Tenho mais histórias deste carnaval memorável, mas o sono chegou!!!


PS: E vivam as doses duplas kkkkkkkkkkkkkk!
Viva o álcool na vida do ser humano, pq só ele permite esse tipo de atrocidade.

Kisses for you!

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Celebrando a 4 anos.


Em 04 de setembro de 2004, neste exato momento, eu já estava casada aproveitando a minha festa de casamento.

Depois de 3 anos e meio de relacionamento, subimos ao altar na igreja onde eu fui batizada e por felicidade, o mesmo padre que realizou a primeira cerimônia religiosa na vida de um católico, realizou também o casamento.

Foi um dia super especial, onde estivemos cercados de amigos e familiares. Não tivemos lua de mel porque tinhamos que voltar logo ao trabalho, mas aproveitamos muito os momentos a dois que tivemos a partir de então.

Hoje, 4 anos já se passaram depois da celebração, e não somos mais só dois (temos Maria Ísis). Passamos por várias adversidades e até os dias atuais, ainda lidamos com fantasmas que nos permeiam desde o dia em que anunciamos o noivado. Temos defeitos, qualidades e acima de tudo uma imensa vontade de permanecermos juntos. Vivemos sob a égide de Deus, fazendo dele o guia das nossas vidas (e nem somos beatos, apenas tementes).

Logo quando eu comecei a escrever esse blog, eu post uma foto do nosso dia (não riam por favor, a gente tava bem mais magrinho).

Bem, a comemoração de hoje não pôde ser do jeito que a gente estava pretendendo, mas valeu porque esse é um dia que não é mais só de duas pessoas que se amam muito, é também a personificação de algo que desejamos muito, a nossa família.

Para Veronica e Fábio, 1+1=3.


Kisses for you!



PS: Eu tinha coisas boas pra hoje, mas em razão da data comemorativa, deixo pra amanhã as fofocas.