domingo, 26 de julho de 2009

A carta que eu nunca vou poder entregar.

Hoje eu sonhei com você...
Sonhei com a gente naquele lugar de sempre, falando nem sempre as mesmas coisas, mas sempre na mesma sintonia... morri de saudades e acordei chorando.
Senti falta das nossas conversas, dos nossos beijinhos engraçadinhos que só faziam sentido para gente, de filar o teu free e falar que era de mulherzinha e de vcê filar o meu hollywood e dizer que era de pedreiro...
Fiquei pensando nas horas de muita tensão depois dos seminários, da história dos contos de fada diante da reviravolta do Capital (Marx até hj deve ter muito orgulho daquele grupo).
E as escadas e os corredores? Se a UFF falasse com certeza mandaria a gente assisitir aula e parar de ficar inventando história.
Agora, a gente se formou né... Eu com muita ajuda sua porque quem foi mesmo que revisou e ordenou a minha monografia hein? E agora, quem vai revisar a minha futura tese de mestrado? Quem? Ainda não sei, mas espero que seja alguém com o mesmo senso crítico e a mesma idiotice peculiar que eu amava em você.
Revi a fita da formatura esses dias... Você estava lá, brilhante, brilhando e vivendo o melhor dia da sua vida como você sempre fez questão de falar pra qualquer pessoa. Fiquei pensando nas inúmeras horas que a gente caiu na porrada na comissão, com idéias divergentes, mas que no fim a gente arrumava um jeito de ficar 50% pra mim e os outros 50% pra você.
Éramos cumplices... até o dia que "aquela coisa" começou a tirar você de mim.
Você foi fugindo, se escondendo, não queria mais me ver, tinha medo de falar comigo e de compartilhar suas dores e desabores como sempre fazia.
Briguei com você, fui injusta, insensível e burra. Até que um encontro fez com que isso caisse por terra.
Estávamos lá, eu e você, como sempre fazíamos. Rindo muito, nos abraçando, falando mal de tudo e de todos, contando e falando mil coisas ao mesmo tepo, mas a gente sempre se entendeu assim, que jeito... Era o nosso jeito!
E agora, o que eu faço sem tudo isso? Três meses já se passaram desde que você deixou o mundo do meros e tolos mortais e ainda sim eu me sinto vazia. Claro que eu sigo a minha vida, mas tem dias que eu sinto MUITO a sua falta.
Sinto falta da sua cara de Claudia Rodrigues, do seu cabelo loiro pintado sem nunca um raiz preta (ah meu Deus as farmácias ganharam muito dinheiro nas tuas custas), do jeito que só você conseguia contar em 30 segundos uma história que muita gente levaria 30 anos, da sua gargalhada, do seu mau humor, de beijar a sua cabeça que sempre ficar perto do meu peito (baixinha).

Enfim, sinto falta de você LETÍCIA. A maior e melhor amiga que eu pude e tiver oportunidade de fazer na minha curta existência.
Eu estava lá sabe, te dando o último adeus, mas na certeza que aquilo era o melhor pra você (não pra mim, mas pra você sim).
Chorei muito, de tristeza, de saudades e mesmo assim em alguns momentos eu pude ficar um pouco mais tranquila sabe porque? Porque eu tenho certeza que você vai poder representar pro Marx o conto de fadas... E ele vai amar, sabe por que? Porque homens adoram as loiras, mesmo as falsificadas, mas eles curtem esse cabelo amarelo...

Eu te amo muito, vou te amar pra sempre e sua presença vai estar sempre comigo.
Uma pena você não ter conhecido a Maria Ísis ao vivo, você ia adorar ela e ela a você...
Ainda bem que você foi no meu casamento... tava lá compartilhando da minha felicidade...
Ainda bem que pudemos viver anos de extrema confiança e amizade juntas. Nos escolhemos como amigas e um dia a gente vai se encontrar, e como diz o NXZERO que a gente tanto ODEIA... "tenho certeza, numa bem melhor..."

Um beijo
Saudades

7 comentários:

MeL disse...

Aiiii VÊ, comecei a ler achando q era um daqueles textos de n deixe pra amanhã o eu te amo que vc pode falar hj... ai me dei conta q era de verdade... aiiii estou aos prantos... Tudo bem q eu sou uma completa idiota que chora com o xaves de Natal... Mas estou aos prantos... essa saudade, do que a gente nunca mais vai poder ver... é a pior coisa do mundo... Eu sinto essa gastura quando penso na minha vó, acho q foi a pessoa que mais amei na vida, faleceu, sem minha presença, porque ela estava internada e eu com bb pequeno, sem ninguem pra ajudar, n pude ficar muito com ela... Me remoo de remorço, de saudade, de vontade de ter feito tudo diferente... e saber q nunca mais vou poder abraçar aquela gordenha e coçar as costas dela doi tanto!!!

Ahhhhhhhh pronto, agora vou chorar até a semana q vem...rs

bjs e valeu a visita viu....

MeL disse...

Adiciona melissa-mascari@hotmail.com e dona sarah disse q o msn quebrou de novo...mas eu nunca vi msn quebrar... hahahah a gente finge q acredita pra não perder a amizade... kkkkkkkk

Dama de Cinzas disse...

Amigo é a coisa mais próxima de ter uma mãe. Mãe é carinho, proteção e amizade pela vida. Um grande amigo é mais ou menos isso. Mas amigo de verdade!

Beijocas

D@ni disse...

Ow Vê, que lindo. Chorei tanto lendo. Palavras sinceras que saem do coração literalmente amiga. Por isso que vc vem conquistando um lugar especial em minha vida.

Thirujo disse...

Nossa!
Tow aqui me arrepiando Vê.
Que texto!
=O

Costumo dizer que amizade vai além do terreno sabe, algo complicado de expor mas é isso. Tem algumas pessoas que já fizeram parte da minha vida das quais não esqueço NUNCA e qdo acontece de encontrá-los é aquela festa, abraços, beijos, brincadeiras...
E vez por outra me pego pensando nos momentos que vivi com todos eles...
Creio que seja isso que podemos chamar de amizade!

Se bem que vc tem um DETALHE nisso tudo. De fato tudo isso que vc escreveu não vai poder chegar às mãos da Letícia. Uma pena, lógico, mas esse amor que tanto vc sente será cultivado pra sempre graças às recordações e momentos vividos!

Acho que é por isso que vc tá sumida né?
hehehehe
Um pouco pensativa com tudo.
=P

Beijão enorme '

disse...

Oi Thi, respondendo o seu comentário, né isso não, tô sumida pq tenho umas coisas pra organizar mesmo antes de fazer a matrícula no curso... Mas pode deixar que quando voltar será em grande estilo rsrs.
Obrigada pelo carinho sempre, boas vibes sempre!!!!

carolzinha669 disse...

Oi Vê!
Estou aqui lendo o que vc escreveu alternei entre risos e lágrimas.
Me lembro quando Letícia chegou em casa e me contou as gargalhadas a apresentação do trabalho de vcs sobre Marx,das vendas verejo dos cigarros,das chopadas e inumeras outras histórias engraçadas.
Fico feliz em saber que existem pesoas como vc que entraram na vida da minha irmã e a amaram.
Minha mãe sempre diz para nós que amigos da faculdade são enternos.
Sei que daqui a algum tempo ela entrará na vaga lembrança de algumas pessoas quando se encontrarem para uma conversa.
Mas,acredito que vc será uma das poucas pessoas que não deixará ela cair no esquecimento.
Obrigada pelas suas lindas palavras e por não esquecer dela.
Mil bjks Carol