sábado, 30 de maio de 2009

Rir é o melhor remédio (pelo menos pra mim).

Depois de um post esquisito (tá melhorando a situação, acho que tô é doida rsrs), resolvi escrever esse aqui.
Estava pelo Youtube e vi um vídeo de uma bebedeira de uma menina que fez um monte de besteiras...
Ai lembrei de mim, há anos atrás quando eu ainda era uma pinguça (hj eu só bebo muito socialmente porque com criança não dá né).

Sábado de muito calor, sem nada pra fazer, Marido (que na época era namorado) chega lá em casa dizendo que queria sair, dar uma volta (milagre dos deuses, acho que essa foi a última vez q ele fez isso). Ai, sentamos no portão de casa (aqui no RJ, principalmente no subúrbio, as pessoas tem o hábito de sentarem em cadeirinhas de praia ou de vendedores no portão pra ver "as modas"), nisso passou um caminhão de som dizendo: Hj, excepcionalmente às 23h o forrózão do Cruz será realizado na quadra da escola de samba Portela (eu morava pertinho, dava pra ir a pé).

Ai eu falei:
EU: ô Amor, bora pro forró?
MARIDO: Sério Vê? Tu não sabe dançar, eu não sei dançar, vamo fazer o que lá?
EU: Ah cara, bora beber e rir dos outros.
MARIDO: Tá bom, bora ligar pra irmã (minha cunhada).

Eis que então fomos ao destino, eu , marido, cunhada, prima e namorado da cunhada.
A cerveja era R$ 1,50 a garrafa (olha só qto tempo tem isso), mas tinha um tal de "geladinho" que era R$ 0,50 o copo de 300ml, ou seja, a derrocada de meros mortais.

Ai qdo eu vi o preço, falei logo: quero esse ai, vem mais no copo e dá pra ficar doidona.
Ok, tomei o 1º copo e já senti subir um fogo (fogo de queimar mesmo, não fogo de dar) que cheou me dar calafrio. Tomei o 2º e já tava dançando como uma nativa nordestina. O negócio ficou tão esquisito que um rapaz, forrozeiro de 1ª linha me chamou pra dançar, eu doidona fui né. Ele veio todo respeitoso pedir pro marido e marido ainda falou assim: Tu quer dançar com ela mermo? Tá bêbada a coitadinha e ainda vai te pisar os pés!!!

Dancei. Ri pra cacete e o coleguinha me rodou pra lá, pra cá, e a cabeça começou a querer sair do corpinho (ou melhor corpão né, 1,80 manja), fui me sentindo leve, leve...
Pedi licença ao pé de forró e fui lá tomar mais "geladinho". Eis que me dá uma vontade de fazer xixi, fui ao banheiro e quando eu sentei na privada (ok, podem falar, mais eu tava ruim memso que sentei na privada), não consegui mais levantar. Fiquei ali coma cabeça rodando, dando cambalhotas e rindo horrores sozinha. Depois de muito tempo, sentiram minha falta e minha cunhada e a prima foram no banheiro saber de mim... tava na mão do palhaço!!!

Resumo da ópera (ops, forró), pernas cansadas, braços péssimos porque eu simplesmente fui carregada pelo marido até em casa. O mais triste foi ter dormido no sofá de dois lugares porque ele não quis acordar a minha mãe (na epoca ainda era solteira), ele tirou a minha roupa, me deu água, pegou uma toalha pra eu me cobrir, fechou a porta e ainda levou minha chave porque eu não sabia de nada...

O pior: o dia seguinte. Não lembrava de nada!

PS: Esse relato é todo do marido, porque eu só me lembro do convite do forrozeiro, o resto... só Jesus (ou melhor, só marido pra lembrar).

E viva a comunidade no Orkut que eu faço parte: QUEM NÃO BEBE NÃO TEM HISTÓRIA!

Beijo beijo

4 comentários:

Dama de Cinzas disse...

É verdade, essa comunidade tá certa, quem não bebe não tem história... ahahah

E eu tenho uma penca delas, umas quase inconfessáveis tamanho foi o mico que paguei, nem era um mico era um King Kong.. ahahah

Lembro de uma vez que cheguei do carnaval tão bêbada que quando cheguei em casa fui ao banheiro e simplesmente não conseguia sair de lá eu caí no chão e dormi dentro do banheiro... E olha que essa é uma das melhorzinhas... ahaha

Beijocas

Priscila Tieppo disse...

Olá, Ve! Obrigada pela visita no meu blog! Tb gostei do seu! Bjs

Irmãs disse...

Antes eu participava da comunidade "Heleninha Roitman" ( hahahahahaha ) já "pingalhei" muito nessa vida e hoje estou no mesmo esquema que vc ... meia latinha só pra milhar o bico!

Beijos Vê, adorei o Post!

Sah

D@ni disse...

kkkkkkkkkkk, Vê, só tu mesmo viu. Dava tudo p/ te ver no forró, morta de bêbada, deve ter pisado bem pokim no pé do coitado. E a dor de cabeça que deve ter dado no dia seguinte? O pior ainda é aquela historia que dizem por aí: "....de bebado não tem dono" Já ouviu isso, ou só sola aqui na Paraíba? kkkkkk