quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Faltam exatos 30 dias pro Natal.

Eu sempre comemorei o Natal em família, tradicionalmente com pais, tios, primos, avós e mais agregados. Aos poucos a grande famílai foi mudando de configuração, mais mesmo assim a mesa farta, o amigo-oculto (ou secreto) sempre rolou, enfim, festança no clã Guimarães.
Hoje, ao escrever a data num documento lá no trabalho, parei e pensei: Caraca, o ano tá acabando mesmo...
E nessa do ano acabar voltei a pensar no Natal e como essa celebração/efeito midiático/chamariz de dinheiro passou a ter outra conotação pra mim.

1 - As pessoas não ligam pro verdadeiro espírito natalino que na verdade deveria ser incorporado em todos os dias do ano.
2 - Cada vez mais a data está se comercializando, fazendo com que o consumo se torne desenfreado e exarcebado, levando a galera a ficar mais endividado em janeiro e fevereiro do ano subsequente.
3 - É quase enlouquecedora quantidade de luzinhas de Natal enfeitando ou enfeiando as casas e gastando mais energia - Aqui na minha rua tem até concurso da casa mais enfeitada...
4 - A quantidade de gente suada, melada, nas ruas procurando as melhores promoções.
5 - Filas IMENSAS no supermercado pra comprar o bacalhau, o pão de rabanada e outras iguarias que só vendem no Natal e claro que o preço SOBE horrores.
6 - As empresas que colocam caixinhas de Natal em cima dos balcões e similares.
7 - Os especiais de Natal da Globo.
8 - O peso que você adquire depois da festança, porque lógico tu vai comer pra caramba.
9 - Aquela hipocrisia de "fazer as pazes" com alguém "Só porque é Natal!"
10 - O Jingle Bell que toca loucamente em todas as lojas de quinquilharias...

Ok, podem me achar ranzinza, chata, sem espirito natalino e coisa e tal, mais eu fui criada dentro de uma familia tradiconalmente católica, que só ceia a meia noite, que assiste junto a missa do Galo na Tv, que faz durante o ano todo coleta de roupas, calçados e material escolar e de higiene pessoal e doa pra diversas instituições de caridade, enfim, que realmente prega o espírito do Natal. E hoje, com esse comércio todo, fico desanimada.
Como isso aqui é minha vaálvula de escape, lá vão vocês ler (ou não) meus devaneios insanos...

É isso pessoal!
PS: Os Correios tem uma iniciativa legal que rola no Natal de cada pessoa responder a uma das mihares de cartinhas que chegam pro Papai Noel. Para fazer uma criança feliz com aquilo que vc pode e cabe no seu bolso, basta procurar uma unidade mais próxima da sua casa e pedir pra ler as cartinhas dos pequenos. Os pedidos são simples, tem desde chocolates até lençóis, toalhas, chinelos e coisas parecidas.
Eu e marido vamos responder 3 cartinhas, uma pra cada um e a outra pra Maria Ísis. Não temos muito, mais vamos dividir um pouquinho com quem nada tem.

Fica a dica!

Beijo grande.

5 comentários:

MeL disse...

Todo ano eu juro pra mim q no proximo ano vou pegar uma cartinha, e sempre passa em branco, vamos ver se desse ano eu cumpro a minha promessa.... Eu amo natal, embora ele tanha virado puro comercio, eu ainda sou rumantica quanto a data... hahah

Flávia Romanelli disse...

Eu sempre adoto cartinhas do Papai Noel, é bacana demais.

Bjão

Irmãs disse...

Realmente é muito triste ver o natal reduzido a isso ... e quanto a hipocrisia há hipocritas para todos os dias do ano pois como diria meu grande Ídolo M. Corleone Todos fazemos parte da mesma hipocrisia. E como diria ainda, meu ídolo - Mas isso não se aplica a minha família.

Sah

Fabi disse...

Aqui em casa nada disso tem mta importância.
O amor que nos une no dia 25 é o mesmo do ano todo..
Ninguém força nada só pq é Natal, e acho que a hipocrisia se fortaleceu pq as pessoas se tornaram mais hipocritas e mentirosas!

Antes tinha um ¨tchan¨ diferente!!

Diário de Solteiras disse...

Amamos o natal, e pensando no que você disse, realmente a data está ficando cada vez mas comercializada, :S.
Mas tem sempre o lado boom! O natal é lindo, para nos uma das mehores epocas do ano, ^^
Beijos, ;***