sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Blogagem coletiva - agora a resposta.

Qual foi é a sua história mais interessante que tenha envolvido um ex (atual) professor (a) seu?

Então pessoas queridas, vou contar meu "causo".

Foi lá pelos idos de 1998/99, não lembro ao certo. Eu resolvi que nesse ano eu iria prestar vestibular com decência, ai me matriculei num pré vestibular pra poder estudar bastante pra passar pra uma universidade federal.
Logo nas primeiras aulas eu me identifiquei com o modo de ensinar do professor de matemática (odeio matemática, não sei nem tabuada), ele ensinava do jeito que eu achava mais certo pra aprender.
Então logo ficamos amigos, ele sempre me dava altas forças e tal. Um dia eu falando que queria cursar direito e que faria vestibular pra tal carreira ele disse assim: Menina, presta atenção, vc tem certeza que é isso que você quer? Claro que eu disse sim. Mesmo depois da minha resposta ele me deu um teste vocacional e falou pra eu preencher e no dia seguinte entregar na coordenação.
Então quando ele leu, me chamou na sala dele e foi me dar o resultado do teste. TODO O TESTE SEM TIRAR NEM PÔR TINHA A VER COM SERVIÇO SOCIAL. PASMEM!!!
Ai eu falei: Bernardo, fala sério, eu assistente social? Imagina, tem que ter muito sangue frio pra lidar com as mazelas alheias...
Ele completou: E vc tem, ainda não sabe disso, mais tem. Faça assim, como vc vai tentar pra todas universidades, pelo menos em UMA coloca a opção de serviço social como primeira, se passar, cursa e se não curtir, sai fora!
Foi exatamente o que eu fiz. Coloquei SESO na UFF, e foi a única que eu passei e em 6º lugar (ai que metida kkkkkkk).
Valeu muito a dica dele, hoje sei que sou alguém muito melhor porque escolhi aprofissão certa e que com todos os atropelos da vida eu me ORGULHO muito dela.
Ok, essa foi a parte fofa da nossa história, agora vem a sordidez (Sah saca só isso).

Eu disse que ficamos amigos né, tão amigos que acabamos ficando juntos uns 5 meses, ele na época devia ter uns 36 anos e eu tinha 18/19. A gente saia pra caramba, a química era boa, mais nunca rolou sexo porque eu achava que não tava preparada (foi até bom na época pq rolou um tempo depois).
Ai um dia eu falei pra ele que tava apaixonada por um menino de 18 anos. Aff, ele riu da minha cara e falou assim: Vc vai me trocar por um moleque?
Eu disse: Trocar não, vou ficar com os 2 hehehehe! Ele riu da minha resposta adolescente e continuamos o papo no corredor do curso. Ai ele lembrou e disse assim: Poxa menina, eu falei que ia trazer uma foto do Junior que ele está com vc e nunca que trazia, hj lembrei, perai que vou pegar. O nosso primeiro contato mais real foi pq ele disse que o filho dele mostrava uma foto que tinha comigo e eu não conseguia saber quem era o menino, ele dizia sempre JUNIOR e eu sabia só conhecia ele como Prof. Bernardo (depois de anos descobri que era segundo nome, o primeiro era Luiz).
Fiquei eu lá esperando quando de repente...
O JUNIOR ERA O MENINO QUE TAVA APAIXONADA, QUE A GENTE DEU UNS BEIJOS NUMA MICARETA (gente eu era adolescente, na época eu gostava dessas coisas) E TIRAMOS UMA FOTO JUNTOS.
Gente, e u nuca fiquei tão tonta na minha vida. Como assim? Eu tirava váriossssssss malhos dentro do carro do pai e tava apaixonadinha pelo filho? Jesus, era o final dos tempos.
EU falei pra ele na hora, Bernardo, esse é meu amor!
Ai ele: O palerma do meu filho? Não acredito. Eu achei que fosse apenas uma amiga. Bem, ele é um ótimo garoto, gente boa, mais vc é muito madura pra ele. Mas se tá apaixonada, vai em frente, mais não conte comigo pra ajudar em NADA...
Ali acabou meu romance com o "Fessor", mais ainda dei umas bitocas honestas no filhote até que nos perdemos naturalmente.
Um ano depois, já na faculdade de serviço social, estava na portaria do prédio quando eu vi chegar um carro com a placa xxx-0000. Nossa, suei frio e comentei com a Lê: Amiga, essa placa é do carro do Bernardo, o que ele tá fazendo aqui? Pois é, era ela gente, lindo, loiro e grisalho. Quase cai pra trás!
Ele me contou lá uma história que eu não me recordo e ai me convidou pra tomar chopp depois do compromisso. Eu aceitei e depois da aula eu estava lá esperando. Liguei pra casa, inventei uma história pra Mamis e fui sair com ele, certa de que depois ele me levaria pra casa. Só que não foi isso. Fui pra casa sim, mais a dele. Foi uma noite linda, cheia de encanto e com muito carinho.
Ficamos JUNTOS mais umas vezes e nos afastamos naturalmente... Coisas da vida.

E ai curtiram a minha história com meu querido professor?

Ah e só pra ilustrar: O MEU MARIDO É PROFESSOR, ENTÃO TÁ NO DESTINO NÉ KKKKKK!

Beijos pessoas.

5 comentários:

Flávia Romanelli disse...

Nossa Vê, parece coisa de novela, pegando o pai o e filho rsrs Oh menina piriguete rsrs Meu namorado também é professor de matemática.

Bjão

disse...

AInda bem Flavinha que esse tempo não me pertence mais, graças a Deus, mais que é bom ter 18 anos, ah isso é sim...

D@ni disse...

Vê, vc não existe, cada visita em seu blog tenho mais certeza disso.
kkkk

Adorei sua historinha___mais uma delas, por sinal.

Bj

S.M. disse...

E é pq a louca sou eu.
Nunca fiquei com pai e filho. Juro.

Vou pensar duas vezes antes de levar a serio vc me dizer que sou doida.

kkkkkkkkk.

MeL disse...

hahahaha, Historia escorpiana heim vê... hahahahah