domingo, 7 de setembro de 2008

Histórias.

Recebi um email de uma amiga falando sobre o término de um relacionamento entre ela e um pessoa que nunca foi seu namorado mas teve uma particiapação especial na sua vida.
Ai, depois de ler e responder minha amiga fiquei pensando nesse tipo de coisa: até que ponto vale a pena manter relações onde os prós são menos marcantes que os contras.
Lembrei de uma situação que aconteceu comigo anos atrás...
Eu passei por um lance complicado na minha vida cerca de 8 anos atrás, e logo em seguida, conheci alguém na night, como era um ficante só, eu resolvi curtir como todos os outros. Só que as coisas tomaram um rumo diferente e eu fui me envolvendo (tb teve a questão do sexo, eu era virgem e o rapaz inaugurou as portas da felicidade). Ficamos juntos uns 6 meses, só que no meio da relação, eu descobri q ele era casado, isso aconteceu da pior maneira possivel, fiquei mal, triste e bastante chateada, até porque eu não me sentia e nem queria ser namorada do cara, era apensas alguém que me atraia, que me pegava de jeito e me fazia sentir muito desejada. Mesmo assim, resolvi insistir nessa relação que teve muitos contras e poucos prós. Ele nunca assumiu isso pra mim, ficava me enrolando e eu sempre esperando q ele fizesse diferente. Só que a vida dá muitas voltas, nesse meio tempo, a cachorra carioca surgiu e eu resolvi botar um ponto final na história (pena q não consegui).
Pra entenderem... meus pais são separados e meu pai mora até hj perto de onde eu trabalhei durante anos, e nessa época as vezes, eu ficava com preguiça de ir pra casa e pousava na casa dele. Uma vez, eu cheguei na casa dele e no caminho ele foi me buscar, demos de cara com um cidadão que eu acho delicioso (até hj), esse moço é hj notoriamente conhecido, mas na época era só um filé q eu achava interessante. Ai comentei com meu pai q ele era bonito, e meu pai falou: Ih Vê, deixa quieto, é muito enrolado!. Só que nesse meio tempo, veio falar conosco o irmão da figura, não menos gato q ele, veio óbvio falar com meu pai pq se interessou por mim (novinha, gostosinha rsrs). Ai eis q a cachorra pensa: "Se não dá pra pegar o fulano, fico com o irmão, me aproximo e depois dou o bote nele." Ledo engano...
O irmão era tudo de bom!!!! Cheiroso, cafajeste, enlouquecedor... Pra vcs terem uma noção, eu que até então só tinha tido um homem na vida (o cara de quem eu começei falando no post), fiz algumas coisas primeira com o cara que são dignas de profissional rsrsrsrs, mas não vem ao caso). EIs q então ele resolveu me dar carona pra casa, eu meti o pé na jaca e pensei: Caralho, fudeu! Meu pai vai saber o q rolou, vai me arrasar e eu vou ficar com fama de puta num local q eu nem moro...!
Sò que no dia seguinte, o cidadão estava me ligando, louco pra me encontrar e eu fui. Mantemos essa relação estranha de sexo drogas e rock in roll durante uns 4 meses. Com esse cara, aprendi muitas coisas da vida, sobre tudo mesmo, e ainda por cima, eu estava ligada ao cara do início do post, sem coragem de terminar pq eu achava q poderia dar certo...
Levei uma relação dupla durante 4 meses (muito cansativo), era terrível pq eu e o amigo do meu pai nos víamos quase todos os dias, ele era solteiro tb, tinha carro e estava sempre onde eu queria estar. Curti muito, só que veio o Carnaval... arrumei uma briga com o 1º e a gente se separou de vez, e o 2º tava lá firme e forte. Só que a coisa foi ficando estranha, pra mim, aos 20 anos, era pura curtição, tirava onda pq ele era lindo, gostoso e mais velho (hj descobri q MUITO mais velho, ele mentiu a idade), e me tirava do sério, coisa q eu sempre curti. Um belo dia, perto do carnaval, eu estava com ele e disse que viajaria com amigas e ele ficou meio chateado. Disse q iria pra outro lugar mais estava contando com minha presença ao lado dele. Eu, na hora, falei..."Não vou mesmo fulano, combinei com minhas amigas e quero zoar muito nesse carnaval, quando eu voltar a gente se vê de novo".
Ai ele disse ali, na lata, então Vê, essa é a última vez q a gente se encontra. Eu pensei em outras coisas pra gente, mas vi q pra vc não dá, não estamos na mesma sintonia...
Saimos de onde estávamos, ele me deixou em casa e se foi... Passei 7 anos sem vê-lo, o encontrei barrigudo, separado, com filho e divertido como sempre, alguém que passou belamente pela minha vida e fez história...só isso, fez história!

Conclusão: Será que valeria a pena eu ter levado adiante a história esquisita com o 1º moço? Claro que não, estaria eu, chorando, triste e não teria a oportunidade de viver um lance mágico com o 2º moço.
Será que valeria a pena eu ter viajado com o 2º moço no carnaval? Claro que não, eu não teria a chance de me divertir tanto como rolou no tal carnaval em cia das amigas...
Não iria ter histórias pra contar.


Kisses for you!

PS: Desculpe o post longo, é que feriadão né rsrsrs!

3 comentários:

Leo disse...

texto comprido hein??? hahahahaha

O importante é aproveitar cada momento, o vulgo Carpe diem, não é?

E claro, assim há muuuuuuitas estórias pra contar pros outros, e a experiência de vida também conta!

bjos!

Carol disse...

UFA! Cheguei ao fim do post... rs
Sabe que eu tb tive uma história louca, de 3 anos e meio e só depois desse tempo foi que eu fiquei sabendo que o cara tinha namorada e enquanto estava comigo, tinha noivado e casado????

Afe!

Um dia desses eu conto esse podre que tb não ia me levar a lugar nenhum... BJ

Danielle Souto disse...

Olá menina, entrei no seu blog por acaso, mas confesso que adorei. Esse seu post então tá o "pipoko do trovão, show de bola". É sempre bom ver umas historinhas interessantes como essa sua. E, sabe de uma coisa, ser mulher é a melhor coisa desse mundo mesmo, de preferencia qd os homens ficam bem alí, aos nossos pés. Bj p/ vc e siga em frente