segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Sonhando um choro de saudades.

Hoje eu dei uma dormida na parte da tarde porque estava morrendo de cólica, ai peguei pesadão no sono mesmo e acabei sonhando. Coisa que eu não fazia há uns dias porque como eu ando sofrendo de insônia, meu sono da noite é "muito pouco ou quase nada" como já disse o Rappa.

Eis que o sonho foi assim: Rio de Janeiro, minha casa antiga, mas uma casa em que eu morei quando era adolescente, na verdade era um apartamento com um play maneirinho. Lá estavam todas as pessoas queridas entre familiares e amigos e até vizinhos antigos e mais recentes. Todos reunidos na minha festa de despedida da cidade maravilhosa.

Entre visitas, homenagens e etc, aconteceu algo que eu não fiz aqui mais fiz no sonho que me deixou de alma leve e lavada. CHOREI. Sim, chorei como nunca, algo tão profundo que eu tive a sensação de que acontecia realmente, tanto que ao aocrodar, senti aquela coisinha tipo um soluço sabe, de tanto chorar.

Mas o choro não era de tristeza, era saudade, gratidão, agradecimento a todos que fazem e fizerm parte da minha vida e da construçao da minha história.

Eu na verdade achei que ao chegar aqui eu ia sorer muito, porque eu NUNCA fiquei longe da minha família extensa, da minha mãe e coisa e tal, mas pelo contrário, estou feliz com a minha nova vida, com os desafios que ela está nos mostrando, com as novas possibilidades de crescimento e principalmente com a união entre mim e meu marido, que sincermente tá valendo cada dia.

Morro de saudades da minha terra, da minha gente, das pessoas que "falam a minha língua", do meu sotaque, da bagunça que a minha família faz em festas, de como somos unidos, das minhas primas-irmãs, ds minhas amigas, da minha comunidade. Enfim, eu descobri que saudade não é algo ruim, pelo contrário é algo necessário para o rescimento pessoal principlmente quando você quer ir mais além.

O estar em Piracicaba não foi algo que planejamos, mas desde o momento em que a situação se mostrou, tentamos da melhor maneira possível agir com serenidade e cautela.

Ficou a sensação de alívio e de que a minha vida nem sempre precisa ser um dramalhão como eu sempre gostei. Sofrer em demasia provocas males à saúde e eu quero estar sempre saudável e feliz.

Nesse um mês de nova vida, fica a saudade sim, a certeza de que pequenas coisas têm um valor grandioso quando não temos por perto.

Estou feliz, saudosa sim, mas feliz e tendo a certeza de que fizemos a escolha certa...

E no Rio de Janeiro eu penso em... a partir de agora apenas um local pra passar férias (pelo menos por enquanto, não sei daqui há um tempo).

Um beijo grande,

Um comentário:

Valentina, uma mulher que fala disse...

Rsss chorar de saudade é bom porque nos faz refletirmos