sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

A morte pede passagem.

Hoje meu dia foi daqueles!!!

Fui acordada às 05:30 da manhã com a notícia do falecimento do meu avô materno que já estava doente de câncer ha algum tempo. Mesmo assim, fica difícil de assimilar tal coisa.
Acho que para mim, a idéia de morte é muito vaga, ainda mais que na minha família não tem tantos idosos assim, mas a sensação de que a linhagem está começando um processo natural de corrosão, assusta.

Entre choros, risos de boas lembranças, orações e o fatídico enterro (coisa q eu acho horrivel, bem fazem os indianos que cremam seus mortos, muito mais higiênico), percebi que a vida realmente está ao alcance da morte.
Esse fato foi o meu avô, que se foi, já idoso e doente - que Deus receba sua alma em bom lugar.

O depois disso foi que um vizinho pouco conhecido, morreu dentro de casa e seu corpo ficou por lá por mais ou menos 5 dias, entrando já em decomposição, chamando assim a atenção de outras pessoas pelo odor insuportável.

E isso tudo aconteceu hoje, 06 de fevereiro de 2009.

Pra morrer basta estar vivo, não somos nada diante do desejo do Pai em ter-nos ao seu lado.
A única certeza real da vida é a morte.

Estou triste, pensando na minha mãe e tias que perderam seu pai, fiquei imaginando a minha vez... muito triste. E o pior, dia 08, domingo é aniversário da minha mãe, que presente ela ganhou né?

É a vida, cheia de surpresas.
Espero que tanto meu avô como o desconhecido sigam seu melhor caminho porque não acabou na matéria, assim eu creio.

Veronica.

Um comentário:

Carol disse...

Vá ao cinema e assista o Curioso Caso de Banjamin Button. É o filme da minha vida COM CERTEZA!

Agora, tenha força, por que vc vai precisar dar força pra sua mãe!

Um beijo grande...

Carol