domingo, 10 de fevereiro de 2013

Em 2013.

Putz, faz um tempão que não venho aqui. Hoje, estou com 34 semanas de gestação da minha segunda gravidez- vou ser mãe de outra menina que chega em Março e se chamará Selena Rosa. Nossa, por várias vezes nesse blog eu mudei de opinião quanto à uma segunda gravidez, mais eis que depois de muitos pedidos da filha mais velha, Maria Ísis, que hoje tem 5 anos e de uma ponderação com o marido, resolvi ceder.

A grande questão foi a surpresa da notícia. Resolvi parar de tomar o contraceptivo e imaginei: "ah, como faço uso desse medicamento há tempos, esse bebezinho vai demorar a chegar..." Ledo engano. No mês seguinte, eu estava lá, grávida.

Realmente hoje tenho a confirmação de que uma gravidez é completamente diferente da outra. Os anos de diferença, o corpo, a mente, a maturidade, tudo isso influencia bastante. Quando engravidei a primeira vez, eu tinha 26 anos, estava morando na minha cidade - RJ e tinha uma infraestrutura emocional de dar inveja. Hoje o buraco é mais embaixo. Tenho 32 anos (engravidei com 31), moro longe da minha família e amigos e só posso contar com meu marido.

Meu corpo já não é mais o mesmo, sinto dores aqui e ali, tenho medos que eu não tive da primeira vez e o mais complicado: saber como dosar o amor para dois filhos. Até o inicio do ano passado, eu era mãe de uma criança só. Toda a minha atenção e dedicação era apenas de uma menininha. E agora? Como me dividir entre duas? Realmente não sei, quem tem mais de um filho diz que você descobre isso na hora. Algo que não vem com manual de instruções. Então já que é assim, vamos rumo ao desconhecido.

Agora é esperar a hora de dar a luz à minha segundinha e que ela venha cheia de saúde e possa completar ricamente a minha vida e minha família com muita alegria.

Vou tentar ser mais assídua aqui e contar mais coisas pra vocês.

Fiquem com Deus e super beijo.

Um comentário:

MeL disse...

Pois é, eu bem conheço isso...rs O amor, ele se multiplica, acho mesmo que vc não pensa sobre isso, apenas ama. Mas é um engano as mães negarem que existe SIM uma afinidade maior com um filho do que com outro. Em todos os setores da vida, isso existe! No seu trabalho, na sua escola, na sua família, e claro que com os filhos... O que não significa que vc vá amar menos um que o outro, mas pode sim ter mais afinidades com um do que com o outro... Bom, eu acho. rsrsrs