quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Não é otimismo, Fé!

O meu Deus é o Deus do impossível. Restaura, cura, ampara, ameniza, impulsiona, mostra o caminho, a justiça e acima de tudo o amor.
O meu Deus é igual ao de todos, a única diferença em mim e algumas pessoas é a doutrina/religião que eu escolhi para amá-lo!
Sim, eu sou umbandista! Religião unicamente brasileira, que ao contrário do que a maioria pensa, tem suas bases fundamentadas no amor e na caridade.
Nosso templo é chamado de terreiro, fazemos oferendas aos nossos orixás e os sincretizamos com santos católicos.
Sim, rezamos em todas as aberturas de giras o Pai Nosso e a Ave Maria!
Não fazemos mal a ninguém! O mal fica do lado de fora do nosso templo. 
Para todos que precisam de conselhos, afagos e caridade, as portas da minha religião estão abertas.
Acreditamos em primeiro lugar na fé de cada indivíduo, no livre arbítrio e na reciprocidade. 
Buscamos a cada dia a nossa evolução através da feitura do bem sem olhar a quem. Cada vez que seus médiuns se conectam com as forças da natureza, trocam energias e deixam emanar boas vibrações para todos que delas necessitem.
E assim, mais de 100 anos depois da primeira manifestação de nossa religião, ainda há aqueles que insistem em dizer e não reconhecer que sim: umbanda é religião, é brasileira, é de Deus é apenas faz o bem.
Contra o preconceito, a favor da diversidade e principalmente da sororidade. 
Com o coração cheio de amor e gratidão, quero dizer que eu me encontrei. Que a minha fé se renova e se restaura a cada dia. Que meus dias por mais difíceis que possam ser, estão sempre carregados de luz e amor. Não busco a perfeição, sou humana, falha e tenho minhas sombras, mas aprendi com os mentores espirituais que sempre há tempo de buscar a melhoria.
Muito obrigada Umbanda Sagrada, pela oportunidade de me livrar dos grilhões que por muitos anos me prendiam!
Que assim seja, axé!
Vê.

Nenhum comentário: