terça-feira, 15 de setembro de 2015

Sobre amor

Da ultima vez que eu vim aqui postei um trecho de uma música da banda O Rappa que eu curto muito. 

A música é maneira, fala meio que de amor a dois, mas eu com a minha mente criativa entendi de uma maneira mais ampliada. 

De uns tempos pra cá eu tenho entendido o amor na sua plenitude sabe? Tenho praticado esse amor das mais variadas formas.

Com meu marido, minha mãe e filhas, com meus amigos, com outras pessoas nem tão próximas assim. Ou seja, estou no momento de energia plena e com cada vez mais certeza de que ao regastar a minha fé (que andava perdida), tudo está ficando cada vez mais claro.

Por muito tempo em minha vida eu fui preconceituosa com religião. Sempre achei que a umbanda por exemplo, fosse  exatamente como descreve o senso comum: algo q só faz o mal. Eis que Deus, infinito em sua grandeza, me levou a um lugar em que eu me senti tão em paz, que não tive vontade de sair.

Esses meus encontros com a minha religiosidade têm me deixado num sentimento de paz profunda. Tenho recebido colo, conselhos, proteção e energias extremamente boas e puras.

Venci o meu preconceito, voltei a me relacionar com a minha fé e hoje, mais do que nunca sinto que me conectei com meu dom: o de acolher e ajudar.

Continuarei aqui ou em outros locais, sempre pregando o amor, a caridade e a troca de bons fluidos.

Como disse ontem o dono da casa onde freqüento: que a partir de hj, vc não deixe que ninguém te aborreça.

É isso.

Beijo me liga.
Vê 

Um comentário:

MeL disse...

Ah, o amor... Bj Vê